boo-box

14 novembro 2006

O dia em que descobri o Rock'n Roll

Tava me lembrando da maneira como descobri o Rock and Roll. Sim, eu me lembro perfeitamente como foi! Tá certo que eu não lembro da minha idade na época, mas eu era bem novo, e dentre os meus discos preferidos estavam "Rap Brasil 2" e "Ioiô Dance". Ah, eu também tinha o LP do Bozo, mas esse eu já não tinha mais o costume de ouvir...

Tudo começou nas Lojas Americanas. Os discos dos Beatles tinham sido lançados em CD, e estavam em promoção. Minha mãe, ao perceber que o "Abbey Road" estava custando uma pechincha, não resistiu e colocou o disco no carrinho de compras:
- Esse era o disco dos Beatles que eu mais gostava quando era adolescente!

Não dei a mínima atenção para aquele disco com quatro cabeludos atravessando uma rua em fila, um deles descalço e um carro de funerária ao fundo. Foi assim por muito tempo. Não sei exatamente quanto tempo, mas foi muito.

Um belo dia então, depois de alguns meses vendo aquele disco na sala da minha casa, sem sequer ter sido tirado da embalagem, resolvi escutá-lo - afinal, todas as pessoas velhas gostavam dos Beatles! Tudo bem que elas também gostavam do Roberto Carlos, mas nem pensei nisso na hora.

Tirei o disco da embalagem, e comecei a ouvi-lo. "Come Together" foi meio esquisita, seguida por "Something", a música que Frank Sinatra dizia ser a mais bela canção de amor já escrita. "Maxwell's Silver Hammer" foi a primeira música que ouvi inteira: animadinha, com cara de música de criança. Mas foi a quarta faixa do disco que me fez perceber que eu era um rocker e não sabia: "Oh! Darling" ficou na minha cabeça, ouvi várias vezes, e fui correndo falar com minha mãe:
- Mãe, esse CD agora é meu!

Comecei então a gostar de música de verdade. O "Rap Brasil" foi aposentado, os Beatles passaram a povoar minha infância, e aos poucos, o rock começou a fazer parte da minha vida...

É... Fui salvo pelos Beatles!

3 comentários: