boo-box

31 janeiro 2007

Gregório para o BBB 8

Eu não sei porque eu ainda insisto em assistir ao Big Brother. Talvez o único motivo plausível seja o fato de que eu tenho muita vontade de participar do programa. E ano após ano, um círculo vicioso tem se fechado: eu assisto ao programa, reclamo dele e falo que vou participar do próximo, NÃO mando o vídeo de inscrição e fico de fora do programa.

Acho que eu me divertiria bastante, mas conviver com um bando de acerebrados por três meses poderia ser muuuito estressante. E eu sei que, com o meu perfil eu nunca venceria o programa. O povo quer os mais pobres e menos favorecidos intelectualmente no topo.

Nessa última terça-feira, o BBB teve um paredão com um resultado absolutamente previsível, mas que eu não gostei. Aliás, eu nunca gostei dos vencedores dos BBBs até hoje... O "pobrema" dessa vez foi a "berlandense" Íris. Ela é uma personagem que me divertia nos primeiros dias do programa. Sempre que a via, eu pensava: "Como pode uma pessoa ser tão caipira e tão besta!", e isso me fazia rir. Algumas semanas depois, quando a vejo penso: "Como pode uma pessoa ser tão caipira e tão besta!". Sim, é a mesma coisa, só que agora isso já me irrita profundamente. E acho que ela anda representando muito mal o estado de Minas Gerais. Muita gente pode estar pensando que todo mineiro faz parte da família Buscapé, fala puxando o érre (perrninha gorrdinha, vetorr perrrpendicularr) e não consegue fazer uma conta de 2+2. E o pior de tudo é que se continuar assim, ela vai acabar vencendo o programa!

E o que eu tenho a ver com a Íris pra ficar falando assim dela? Na verdade nada... Nem eu nem os milhões de telespectadores do Big Brother. Então porque eu continuo assistindo ao programa? Sei lá, quando eu estiver na casa vocês vão me assistir, não vão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário