boo-box

08 agosto 2007

Axé e a baba única

Não gosto das micaretas. Primeiro porque a música é sofrível na grande maioria das vezes. Segundo, porque fica cheio de boyzinhos acéfalos requebrando como macacos esfregando seus braços bombados melecados de suor nas pessoas à sua volta. Terceiro, por causa da baba única.

A baba única é uma teoria que desenvolvi conversando com diversas pessoas sobre as situações que ocorrem nas picaretas. 87% das pessoas vai com a mentalidade (ou a falta dela) de beijar o máximo de pessoas o possível. Pois bem, imagine que um boyzinho bombado beije uma patty nojenta. 15 minutos depois, esse mesmo boyzinho já está osculando uma simpática menina do interior que veio pra capital só pra micareta, ao passo que a patty tá "dando uns pega" num nerd que não pega ninguém e veio pro evento tentar a sorte. As trocas continuam aleatoriamente por algumas horas, e ao final da festa, coletando amostra de saliva de apenas uma pessoa, você encontra exemplares de bactérias originárias de aproximadamente 98% das pessoas presentes. 2% não é nada. Conclui-se então que a baba é única!

Se por acaso você se encontrar num axé, vai ser impossível não sair com os ouvidos agredidos e o corpo todo sujo. Mas pelo menos da baba única você tem a opção de fugir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário