Pular para o conteúdo principal

A volta ao mundo em quadrinhos

Aprendi a ler só pra poder acompanhar as histórias da Turma da Mônica e compro mensalmente alguns títulos de super-heróis norte-americanos. Mas o mundo dos quadrinhos é bem maior que isso. A seguir, algumas recomendações de hqs de diversas partes do mundo!

Brasil - 10 pãezinhos

Devir_Mesapradois Série escrita e desenhada pelos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, os quadrinistas brasileiros mais populares do momento. Trata basicamente de relacionamentos, ou seja, nada de super-heróis e coisas fantasiosas.

Moon e Bá ganharam vários Eisner (o Oscar dos quadrinhos) nesse ano, e escrevem semanalmente na revista Época e na Folha de São Paulo.

 

 

Estados Unidos - Lanterna Verde

Lanterna Verde O Lanterna Verde é considerado um super-herói do primeiro escalão, mas nunca teve a popularidade de um Batman ou Superman.

A história "A Guerra dos Anéis", publicada no ano passado nos Estados Unidos recebeu inúmeros elogios de público e de crítica, e agora está saindo no Brasil na revista mensal "Lanterna Verde", lançada em setembro. Ainda dá pra comprar o primeiro exemplar!

 

Japão - Chobits

JBC_Chobits_13 Uma bela fábula que envolve a relação das pessoas com a tecnologia e até onde a relação homem-máquina pode chegar.

Feito para meninas, mas eu li e gostei.

Teve seus 16 volumes lançados no Brasil há alguns anos, mas ainda é possível encontrar a coleção completa. Ou então eu posso te emprestar (desde que cuide com carinho).

 

Itália - Dylan Dog

dylan dog Histórias de suspense e terror que são sucesso na Itália, mas que não conseguem emplacar no Brasil.

Por aqui já saiu por diversas editoras, que vão aumentando o preço até cancelar a publicação.

Um filme envolvendo o detetive Dylan Dog está sendo produzido, e isso traz uma leve esperança de que o Dylan Dog volte a ter uma revista mensal tupiniquim...

 

França - Asterix

Record_Asterix_JogosOlimp O gaulês estampava uma das minhas camisetas preferidas quando eu era um pimpolho.

Apesar dos álbuns serem relativamente caros pelo número de páginas, é fácil encontrá-los em bibliotecas.

É uma pena que os últimos longa-metragens para o cinema queimem o filme (literalmente) do personagem.

 

Inglaterra - Sandman

Pixel_Sandman_PeN

A editora é norte-americana, mas o autor é inglês, então é isso que conta.

Neil Gaiman escreve histórias de fantasia como ninguém, e essa é sua obra mais famosa.

Aproveite que a coleção está sendo relançada no Brasil!

Recomendado pra adultos (até porque as crianças de hoje não costumam ler quadrinhos como antigamente...)

 

Irã - Persépolis

persepolis Autobiografia em quadrinhos de uma garota roqueira durante a revolução iraniana.

Tocante.

Adaptada para o cinema e indicada ao Oscar de melhor animação em 2007.

 

 

 

 

Polônia - Maus

CiaLetras_Maus Considerada um clássico (inclusive ganhou um Pulitzer!), é uma narrativa sobre o Holocausto.

A prova de que quadrinho também é arte!

Comentários

  1. Tenho a coleção completa do Asterix, e gosto muito dela. Sobre a descrição do HQ Japones, vi uma serie de animes chamada Serial Experiments Lain que se parece com o que você falou, mas não há versão em quadrinhos.
    Faltou falar do Tintin, mas não sei se ele também tem versão em quadrinhos...

    ResponderExcluir
  2. Não conheço essa série de Anime, vou procurar por ela. Sobre o Tintin, ele surgiu nos quadrinhos, inicialmente em francês, mas foi criado por um belga. Não recomendei porque nunca li nenhum álbum dele.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, não sabia que o Dylan Dog era italiano. Por isso quando estive lá eu via pra vender em tudo quanto era canto. Com esse nome achava que era americano mesmo. De qualquer forma, nunca li :P

    Sobre quadrinhos belgas, o mais famoso é o do Tintin, mas existe um outro que faz muito sucesso por lá que se chama Kiekeboe. É meio que um Simpsons em quadrinhos, retratando uma família belga ao invés de uma família americana.

    ResponderExcluir
  4. Lembra quando vc me emprestou, um a um, os seus seis exemplares de dylan dog???
    Eram tão legais.. são tão legais..
    Gostaria de lê-los de novo um dia...

    ResponderExcluir
  5. Eu daria um rim por uma edição italiana de Dylan Dog hahaha.

    Ciniro, a coleção que te emprestei foi a da Editora Conrad, que foi cancelada no sexto número. Alguns meses depois a editora Mythos publicou mais uns exemplares, mas a revista não foi pra frente também.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os patos de Patópolis e o Pato Fu

Recentemente, enquanto lia uma revista do Ducktales (os caçadores de aventuras, todos eles são grandes figuras), me deparei com um quadrinho onde o Capitão Bóing fazia uma ameaça aos seus adversários invocando o poder do Pato Fu (ou seja, o kung fu dos patos). Achei a referência divertida, postei no Twitter, a própria banda retweetou a publicação, mas achei que era um caso isolado.


Pra quem conhece a história da banda, o uso desses termos faz todo sentido. O nome Pato Fu foi inspirado em uma tira do Garfield onde ele lutava Gato Fu.


Normalmente esse tipo de referência é chamado de "easter egg", termo em inglês para ovo de páscoa. É uma surpresa escondida na narrativa (seja ela em quadrinhos, prosa, cinema etc) que não tem influência na história. Assim, quem conhece a referência acha interessante, se diverte um pouco mais e pra quem não conhece a vida continua como se nada tivesse acontecido.

Algumas semanas depois, lendo o volume "A Cidade Fantasma", da coleção do…

O custo de um carro popular é muito maior do que você pensa (uma história real)

Nunca tive o sonho de comprar um carro, até mesmo porque nem gosto de dirigir fora do videogame. E como até pouco tempo atrás eu tinha transporte da empresa para o trabalho, comprar um carro seria um capricho muito caro e desnecessário. Até que voltei para Belo Horizonte e senti a necessidade de comprar um automóvel para ter um pouco mais de conforto. Comprei meu primeiro carro em maio de 2014.

Em 30 meses e pouco mais de 43.000 km rodados, o meu carro gerou um custo mensal de R$1407,02.


Esse valor não inclui o valor que paguei no automóvel, ele refere-se apenas a gastos realizados que não poderão ser repostos com a venda do carro. Pode até parecer um valor muito alto, mas ele foi rigorosamente calculado e pode surpreender os desavisados.

E veja só, meu carro não é extravagante: é um Volkswagen up! com a maioria dos opcionais. Tem motor 1.0, consome muito pouco combustível e a manutenção é relativamente barata. É que mesmo um carro popular pode sair muito caro.

R$27.044,14 com despesas …

As notícias falsas que confundiram o público da Campus Party MG

Tive o prazer de ministrar uma palestra na última edição da Campus Party em MG com o tema "Fake News - Como viver num mundo de mentiras". Em breve, essa palestra estará disponível no YouTube e, assim que tiver o link, compartilho com você.



No início da minha apresentação, mostrei algumas notícias e pedi para o público preencher um questionário avaliando se cada publicação era verdadeira ou falsa. TODAS eram falsas, por mais convincentes que parecessem.

O público da Campus Party é jovem e ligado em tecnologia, o que poderia nos levar à hipótese de que estariam mais antenados e conseguiriam identificar o que realmente aconteceu. Os resultados foram um pouco diferentes.

A primeira notícia falava que o plantão da Globo nos atentados de 11 de setembro interromperam um episódio de Dragon Ball Z. 44% do público estava convencido de que isso era verdade. Esse é um caso curioso, pois é muito comum encontrarmos pessoas que afirmam se lembrar do ocorrido, mas essa é uma espécie de memória…