Pular para o conteúdo principal

A volta ao mundo em quadrinhos

Aprendi a ler só pra poder acompanhar as histórias da Turma da Mônica e compro mensalmente alguns títulos de super-heróis norte-americanos. Mas o mundo dos quadrinhos é bem maior que isso. A seguir, algumas recomendações de hqs de diversas partes do mundo!

Brasil - 10 pãezinhos

Devir_Mesapradois Série escrita e desenhada pelos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, os quadrinistas brasileiros mais populares do momento. Trata basicamente de relacionamentos, ou seja, nada de super-heróis e coisas fantasiosas.

Moon e Bá ganharam vários Eisner (o Oscar dos quadrinhos) nesse ano, e escrevem semanalmente na revista Época e na Folha de São Paulo.

 

 

Estados Unidos - Lanterna Verde

Lanterna Verde O Lanterna Verde é considerado um super-herói do primeiro escalão, mas nunca teve a popularidade de um Batman ou Superman.

A história "A Guerra dos Anéis", publicada no ano passado nos Estados Unidos recebeu inúmeros elogios de público e de crítica, e agora está saindo no Brasil na revista mensal "Lanterna Verde", lançada em setembro. Ainda dá pra comprar o primeiro exemplar!

 

Japão - Chobits

JBC_Chobits_13 Uma bela fábula que envolve a relação das pessoas com a tecnologia e até onde a relação homem-máquina pode chegar.

Feito para meninas, mas eu li e gostei.

Teve seus 16 volumes lançados no Brasil há alguns anos, mas ainda é possível encontrar a coleção completa. Ou então eu posso te emprestar (desde que cuide com carinho).

 

Itália - Dylan Dog

dylan dog Histórias de suspense e terror que são sucesso na Itália, mas que não conseguem emplacar no Brasil.

Por aqui já saiu por diversas editoras, que vão aumentando o preço até cancelar a publicação.

Um filme envolvendo o detetive Dylan Dog está sendo produzido, e isso traz uma leve esperança de que o Dylan Dog volte a ter uma revista mensal tupiniquim...

 

França - Asterix

Record_Asterix_JogosOlimp O gaulês estampava uma das minhas camisetas preferidas quando eu era um pimpolho.

Apesar dos álbuns serem relativamente caros pelo número de páginas, é fácil encontrá-los em bibliotecas.

É uma pena que os últimos longa-metragens para o cinema queimem o filme (literalmente) do personagem.

 

Inglaterra - Sandman

Pixel_Sandman_PeN

A editora é norte-americana, mas o autor é inglês, então é isso que conta.

Neil Gaiman escreve histórias de fantasia como ninguém, e essa é sua obra mais famosa.

Aproveite que a coleção está sendo relançada no Brasil!

Recomendado pra adultos (até porque as crianças de hoje não costumam ler quadrinhos como antigamente...)

 

Irã - Persépolis

persepolis Autobiografia em quadrinhos de uma garota roqueira durante a revolução iraniana.

Tocante.

Adaptada para o cinema e indicada ao Oscar de melhor animação em 2007.

 

 

 

 

Polônia - Maus

CiaLetras_Maus Considerada um clássico (inclusive ganhou um Pulitzer!), é uma narrativa sobre o Holocausto.

A prova de que quadrinho também é arte!

Comentários

  1. Tenho a coleção completa do Asterix, e gosto muito dela. Sobre a descrição do HQ Japones, vi uma serie de animes chamada Serial Experiments Lain que se parece com o que você falou, mas não há versão em quadrinhos.
    Faltou falar do Tintin, mas não sei se ele também tem versão em quadrinhos...

    ResponderExcluir
  2. Não conheço essa série de Anime, vou procurar por ela. Sobre o Tintin, ele surgiu nos quadrinhos, inicialmente em francês, mas foi criado por um belga. Não recomendei porque nunca li nenhum álbum dele.

    ResponderExcluir
  3. Caramba, não sabia que o Dylan Dog era italiano. Por isso quando estive lá eu via pra vender em tudo quanto era canto. Com esse nome achava que era americano mesmo. De qualquer forma, nunca li :P

    Sobre quadrinhos belgas, o mais famoso é o do Tintin, mas existe um outro que faz muito sucesso por lá que se chama Kiekeboe. É meio que um Simpsons em quadrinhos, retratando uma família belga ao invés de uma família americana.

    ResponderExcluir
  4. Lembra quando vc me emprestou, um a um, os seus seis exemplares de dylan dog???
    Eram tão legais.. são tão legais..
    Gostaria de lê-los de novo um dia...

    ResponderExcluir
  5. Eu daria um rim por uma edição italiana de Dylan Dog hahaha.

    Ciniro, a coleção que te emprestei foi a da Editora Conrad, que foi cancelada no sexto número. Alguns meses depois a editora Mythos publicou mais uns exemplares, mas a revista não foi pra frente também.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pista premium, essa aberração dos shows no Brasil

O cantor inglês Ed Sheeran tocou ontem em Belo Horizonte em uma apresentação cheia de altos e baixos. Um problema que chamou a atenção foi o tamanho da semi-deserta pista premium. A impressão que dava é que nem um terço do espaço dedicado ao pessoal que pagou o dobro do preço estava ocupado. A foto abaixo tirada durante a apresentação do cantor dá um noção do vácuo existente.


A organização foi no mínimo incompetente para dimensionar o espaço. Fica feio e desagradável tanto para o público quanto para o cantor.

Reproduzo a seguir um texto que escrevi em 2014 para o Move That Jukebox onde falo um pouco sobre esse costume indigesto dos promotores de shows no Brasil.

******
O abismo entre a pista comum e a pista premium

A simples existência de uma pista premium em um show é o suficiente para prejudicar (e muito) a experiência de quem não está nela. Acho natural cobrar valores diferentes para lugares diferentes, mas desde que o lugar esteja marcado. É justo que a cadeira da primeira fila ten…

O que acontece se um vampiro morder um zumbi? E se um zumbi morder um vampiro?

Já parou pra pensar no que acontece quando um vampiro morde um zumbi? Será que o zumbi vira um vampiro? E quando a situação é a inversa? Será que uma mordida de zumbi transforma o ser de dentes pontudos?
Tanto vampiros quanto zumbis são seres que podem ser classificados como "mortos-vivos". Isso significa que, apesar deles conseguirem executar certas ações que usualmente apenas os seres vivos são capazes, eles estão mortos. Na prática, se um vampiro morder um zumbi ou vice-versa não acontece nada. 

A razão desse efeito (ou da ausência de efeito) é que os zumbis mordem apenas seres vivos. Por esse motivo, eles não mordem outros zumbis, vampiros e múmias, por exemplo.
Por outro lado, os vampiros precisam se alimentar de sangue de seres vivos. E, embora os zumbis tenham sangue circulando em suas veias, eles já estão mortos.
Assim sendo, se um vampiro cruzar com um zumbi, certamente eles não se atacarão. E mesmo supondo que seja um vampiro doidão que queira morder um ser um put…

Quanta inovação pode conter um chinelo?

Não, eu não vou falar das Havaianas. A história da fabricante de chinelos brasileira que coloriu seus chinelos (que eram) feiosos e passou a ser um ícone da moda mundial já foi suficientemente explorada como exemplo de inovação no mundo dos negócios.

Eu vou falar é da Florine Chinelos, marca bem menor, mas com um produto interessantíssimo e um potencial de crescimento tremendo. Conheci a história da empresa em uma palestra de Alexandre Robazza, do SEBRAE SP.


Parece bucha de banho, né? Mas na verdade é o mesmo material utilizado para fazer tapetes. Aliás, o chinelo foi criado numa fábrica de tapetes.
Incomodado com as tiras que sobravam na fabricação dos tapetes, o criador do produto Carlos Gasparini, buscava alguma utilidade para os retalhos, até que um dia teve a ideia de fazer um chinelo. Após várias tentativas e com o protótipo em mãos, foi procurar o SEBRAE.
Com o apoio do SEBRAE, patenteou o produto, registrou a marca e começou a produção. Claro que não foi da noite para o dia, h…