Pular para o conteúdo principal

Outravision

Um ano atrás, a Wonkavision disponibilizou para download uma música inédita. A proposta da banda: um single inédito por mês, durante um ano. Detalhe: eles não fizeram nenhuma apresentação em 2008. O resultado: 12 ótimas músicas, muitas discussões na comunidade no Orkut e uma grande expectativa para um novo show da banda.

impar perfeito O Ímpar Perfeito abriu o ano com uma canção triste, cruel, mas que traz um dos melhores nomes de música que eu conheço.

 

 

double dealingDouble Dealing surpreendeu por ser uma faixa em inglês, que nunca tinha sido cantada em português. Dá vontade de fazer a namorada decorar e ficar cantando em dupla com ela. Mas não pra levar a letra a sério, só pra fazer teatrinho mesmo.

rebobinar Rebobinar é meio hipnótica. Não sei porque, mas minha tendência ao ouvir essa música é colocá-la de novo pra tocar. E de novo. E de novo. Ela ainda traz uma brincadeira legal pra quem escuta acompanhando a letra.

 

paranoiaParanóia é claustrofóbica, tensa, paranóica. Dá medo. Talvez seja por isso que eu goste tanto.

 

 

 

tanto fazTanto Faz é um caldeirão de referências à cultura pop em geral, num jogo de palavras e sons divertidíssimo.

 

 

not for me A Wonkavision se aventura pela country music em Not For Me. Quando eu aprender a tocar violão, vou colocar um matinho na boca e sair por aí cantando essa canção em meu cavalo alazão.

 

 

pumadidasUm hino anti-undergroundice, como definiu a própria banda, Pumadidas foi uma das músicas mais esperadas pelos fãs. E valeu a pena.

 

 

a farsaA farsa que eu fracasso em ser tem o melhor título do tipo "Peraí... Ah, entendi"  desde Fingi na hora rir, do Los Hermanos. O engraçado dessa música é que eu sempre ouvia "Há algo MACABRO em mim", quando a palavra que estava sendo dita era MARCADO. Eu acho a minha versão mais legal.

write a noteWrite a Note é uma música de tirar o fôlego, que vai crescendo até um ponto em que eu me embolo todo e não consigo cantar mais. Um dia eu ainda consigo!

 

 

o fora O Fora ganhou o posto de minha favorita. Extremamente melancólica, pode fazer garotinhas chorarem. Mas é linda.

 

 

superpoderSuperpoder traz o mesma temática que O Fora. O contraste é que é uma canção aparentemente alegre, que diz "Não há jeito fácil de dizer eu não te amo mais". Cruel.

 


1-2 amor1/2 Amor é o último dos singles prometido pela banda, e encerra a sequência em grande estilo. Mostra um lado pop da banda, que não era conhecido tempos atrás.

 


É bom destacar o ótimo trabalho na criação das capas para cada um dos singles, que fiz questão de reproduzir aqui.

Todas as músicas podem ser baixadas gratuitamente nos caminhos indicados no site da banda.

http://www.wonkavision.com.br/

P.S.: No contador de execuções do meu iPod, essas músicas foram tocadas 517 vezes. A campeã foi Rebobinar, com 66 execuções.

Comentários

  1. Fiquei feliz com teus comentários. Que bom que a Wonka contribui tanto pros teus ouvidos nesse ano de 2008. Grande beijo e ótimo 2009.

    ResponderExcluir
  2. Hahaha! Gostei!
    No meu i-tunes quem ganha é "A Fersa que em fracasso em ser" com 108 reproduções, seguido por 47 de "o ímpar perfeito"...

    o/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os patos de Patópolis e o Pato Fu

Recentemente, enquanto lia uma revista do Ducktales (os caçadores de aventuras, todos eles são grandes figuras), me deparei com um quadrinho onde o Capitão Bóing fazia uma ameaça aos seus adversários invocando o poder do Pato Fu (ou seja, o kung fu dos patos). Achei a referência divertida, postei no Twitter, a própria banda retweetou a publicação, mas achei que era um caso isolado.


Pra quem conhece a história da banda, o uso desses termos faz todo sentido. O nome Pato Fu foi inspirado em uma tira do Garfield onde ele lutava Gato Fu.


Normalmente esse tipo de referência é chamado de "easter egg", termo em inglês para ovo de páscoa. É uma surpresa escondida na narrativa (seja ela em quadrinhos, prosa, cinema etc) que não tem influência na história. Assim, quem conhece a referência acha interessante, se diverte um pouco mais e pra quem não conhece a vida continua como se nada tivesse acontecido.

Algumas semanas depois, lendo o volume "A Cidade Fantasma", da coleção do…

O custo de um carro popular é muito maior do que você pensa (uma história real)

Nunca tive o sonho de comprar um carro, até mesmo porque nem gosto de dirigir fora do videogame. E como até pouco tempo atrás eu tinha transporte da empresa para o trabalho, comprar um carro seria um capricho muito caro e desnecessário. Até que voltei para Belo Horizonte e senti a necessidade de comprar um automóvel para ter um pouco mais de conforto. Comprei meu primeiro carro em maio de 2014.

Em 30 meses e pouco mais de 43.000 km rodados, o meu carro gerou um custo mensal de R$1407,02.


Esse valor não inclui o valor que paguei no automóvel, ele refere-se apenas a gastos realizados que não poderão ser repostos com a venda do carro. Pode até parecer um valor muito alto, mas ele foi rigorosamente calculado e pode surpreender os desavisados.

E veja só, meu carro não é extravagante: é um Volkswagen up! com a maioria dos opcionais. Tem motor 1.0, consome muito pouco combustível e a manutenção é relativamente barata. É que mesmo um carro popular pode sair muito caro.

R$27.044,14 com despesas …

As notícias falsas que confundiram o público da Campus Party MG

Tive o prazer de ministrar uma palestra na última edição da Campus Party em MG com o tema "Fake News - Como viver num mundo de mentiras". Em breve, essa palestra estará disponível no YouTube e, assim que tiver o link, compartilho com você.



No início da minha apresentação, mostrei algumas notícias e pedi para o público preencher um questionário avaliando se cada publicação era verdadeira ou falsa. TODAS eram falsas, por mais convincentes que parecessem.

O público da Campus Party é jovem e ligado em tecnologia, o que poderia nos levar à hipótese de que estariam mais antenados e conseguiriam identificar o que realmente aconteceu. Os resultados foram um pouco diferentes.

A primeira notícia falava que o plantão da Globo nos atentados de 11 de setembro interromperam um episódio de Dragon Ball Z. 44% do público estava convencido de que isso era verdade. Esse é um caso curioso, pois é muito comum encontrarmos pessoas que afirmam se lembrar do ocorrido, mas essa é uma espécie de memória…