boo-box

30 janeiro 2009

Outravision

Um ano atrás, a Wonkavision disponibilizou para download uma música inédita. A proposta da banda: um single inédito por mês, durante um ano. Detalhe: eles não fizeram nenhuma apresentação em 2008. O resultado: 12 ótimas músicas, muitas discussões na comunidade no Orkut e uma grande expectativa para um novo show da banda.

impar perfeito O Ímpar Perfeito abriu o ano com uma canção triste, cruel, mas que traz um dos melhores nomes de música que eu conheço.

 

 

double dealingDouble Dealing surpreendeu por ser uma faixa em inglês, que nunca tinha sido cantada em português. Dá vontade de fazer a namorada decorar e ficar cantando em dupla com ela. Mas não pra levar a letra a sério, só pra fazer teatrinho mesmo.

rebobinar Rebobinar é meio hipnótica. Não sei porque, mas minha tendência ao ouvir essa música é colocá-la de novo pra tocar. E de novo. E de novo. Ela ainda traz uma brincadeira legal pra quem escuta acompanhando a letra.

 

paranoiaParanóia é claustrofóbica, tensa, paranóica. Dá medo. Talvez seja por isso que eu goste tanto.

 

 

 

tanto fazTanto Faz é um caldeirão de referências à cultura pop em geral, num jogo de palavras e sons divertidíssimo.

 

 

not for me A Wonkavision se aventura pela country music em Not For Me. Quando eu aprender a tocar violão, vou colocar um matinho na boca e sair por aí cantando essa canção em meu cavalo alazão.

 

 

pumadidasUm hino anti-undergroundice, como definiu a própria banda, Pumadidas foi uma das músicas mais esperadas pelos fãs. E valeu a pena.

 

 

a farsaA farsa que eu fracasso em ser tem o melhor título do tipo "Peraí... Ah, entendi"  desde Fingi na hora rir, do Los Hermanos. O engraçado dessa música é que eu sempre ouvia "Há algo MACABRO em mim", quando a palavra que estava sendo dita era MARCADO. Eu acho a minha versão mais legal.

write a noteWrite a Note é uma música de tirar o fôlego, que vai crescendo até um ponto em que eu me embolo todo e não consigo cantar mais. Um dia eu ainda consigo!

 

 

o fora O Fora ganhou o posto de minha favorita. Extremamente melancólica, pode fazer garotinhas chorarem. Mas é linda.

 

 

superpoderSuperpoder traz o mesma temática que O Fora. O contraste é que é uma canção aparentemente alegre, que diz "Não há jeito fácil de dizer eu não te amo mais". Cruel.

 


1-2 amor1/2 Amor é o último dos singles prometido pela banda, e encerra a sequência em grande estilo. Mostra um lado pop da banda, que não era conhecido tempos atrás.

 


É bom destacar o ótimo trabalho na criação das capas para cada um dos singles, que fiz questão de reproduzir aqui.

Todas as músicas podem ser baixadas gratuitamente nos caminhos indicados no site da banda.

http://www.wonkavision.com.br/

P.S.: No contador de execuções do meu iPod, essas músicas foram tocadas 517 vezes. A campeã foi Rebobinar, com 66 execuções.

28 janeiro 2009

Os Contos de Beedle, o Bardo

Beedle, o Bardo Já fazem 9 anos que li Harry Potter e a Pedra Filosofal. O primeiro livro foi publicado em 1997, na Inglaterra. Os leitores cresceram.

Mas J.K. Rowling parece não ter pensado nisso dessa vez. Os Contos de Beedle, o Bardo, foi escrito para crianças. As histórias se passam no mundo mágico de Harry Potter (o livro é comentado por Alvo Dumbledore!), mas são bem mais infantis que os 7 livros da série.

O resultado é um livro meio bobinho, que agradaria os leitores de Harry Potter uns 6 anos atrás. Mas chegou tarde.

É certo que existe uma nova geração de fãs do bruxinho, que começou a ler os livros recentemente. Esses, se tiverem até uns 14 anos, devem gostar do livro. E provavelmente são a minoria.

J. K. Rowling é ótima, e seus livros tem um lugar de destaque na minha estante. Mas dessa vez, acho que ela errou a mão. Talvez o ideal seria desvincular suas histórias do mundo de Harry Potter. Assim ela poderia atrair novos leitores, e evitar (um pouco) as comparações.

Turma da Mônica Jovem 6

TurmadaMonicaJovem6 Tenho um problema com a revista Turma da Mônica Jovem. Eu fico falando que não vou comprar mais, e acabo voltando atrás.

A primeira edição, foi por curiosidade. A segunda foi pra ver se a história melhorava - o que não aconteceu. Resolvi parar de comprar.

Mas a quarta edição (que ultrapassou a incrível marca de 400 mil exemplares) trouxe o primeiro beijo entre a Mônica e o Cebolinha. Resultado: comprei a edição 4 e a 3. E disse novamente que pararia de ler a revista.

Saiu a edição 5 e deixei ela quietinha na banca. E agora a sexta edição foi lançada.

Mas aí descobri que o roteirista agora é o Marcelo Cassaro. E se tem dois escritores de HQs que eu conheço desde a minha infância, eles são o Maurício de Sousa e o Marcelo Cassaro. Ele era um dos roteiristas da clássica revista "As Aventuras dos Trapalhões", que trazia os humoristas na forma de personagens famosos da cultura pop na época, tais como Eduardedé Mãos de Tesoura, Didiana Jones, Didicop, entre outras. Depois disso, ele foi editor da revista de RPG Dragão Brasil, até chegar a Holy Avenger, premiada série em quadrinhos nacional que chegou a 42 edições. Resumindo: espero que saia um boa história!

Mas aí, pra ler a edição 6, vou ter que comprar a 5 também. E assim continua o círculo vicioso compro-nãocompro e a relação de amor e ódio que tenho com a revista Turma da Mônica Jovem.

As 7 melhores

Rádios são uma praga. As gravadoras pagam, e somos obrigados a ouvir porcarias - nem adianta mudar de estação.

Atualmente a parada é dominada por artistas como Beyoncé, Pussycat Dolls, Chris Brown, Britney Spears, NX Zero, Rihanna, Akon e Katy Perry. Não salva nada... Se bem que eu acho as músicas da Katy Perry legais, embora o meu eu interior me diga que eu não deveria gostar dela...

Pois bem. Estava no carro com os amigos, e começa a tocar Human, do The Killers. Depois de uns 30 segundos, mudaram de estação. E é claro que reclamei!

- Não toca nada de bom e quando começa uma música legal vocês tiram!

- Você tá zoando?

- Não, tô falando sério!

- Sério mesmo?

- Claro!

E assim pude ouvir o resto da música de uma das bandas mais legais da atualidade. Que não está entre as 7 melhores da rádio, mas tem seu lugar reservado na minha lista de mais ouvidas...

Snow Patrol

snow patrol - polar bears Tudo que eu sabia era que o Snow Patrol era uma nova banda de indie rock escocesa, cujo álbum contava com a participação de membros do Belle and Sebastian.

Um grupo com a bênção da melhor banda da Escócia (sim, o Franz Ferdinand fica em segundo lugar) merecia então um pouquinho da minha atenção..

Só que naquela época, baixar MP3 era um trabalho hercúleo, considerando a conexão discada de 33kbps que eu tinha.

Aí um colega meu viu o CD da foto (Songs for Polarbears) em promoção, em uma loja online de indie rock. Tava barato, e a capa era legal, e ele resolveu comprar - se a música fosse ruim, pelo menos ele teria uma foto com um anão de jardim vestido de Elvis.

Mas o disco era muito bom! Aliás, o Snow Patrol passou a lançar álbuns cada vez melhores, até chegar ao primeiro escalão do rock.

Só que nem tudo são flores. Algum DJ fez um remix da música Open Your Eyes, que acabou virando sucesso nas rádios e pistas de dança. E eu morro de preguiça de músicas com tuntituntz no fundo... E assim, a versão original, muito melhor que a remixada, foi esquecida pelo grande público. Mas não por mim!

22 janeiro 2009

Pequeno conto nerd

Era aniversário de um nerd. Todos os amigos comemorando, numa festa colossal. Eis que surge o bolo, com as velas formando o número 19.

- Dou 20 reais pra quem acertar o motivo do número 19!

(...)

Mesmo com o nerd level do local bem alto, ninguém acertou.

- É porquê 19 é igual a 25 em hexadecimal!

OK, foi a piada foi boa. Mas foi muito, muito nerd. É com essas pessoas que eu convivo...

11 janeiro 2009

The BBC Sessions

bbcsessions O Belle and Sebastian foi a banda que mais ouvi em 2006, e provavelmente em alguns dos anos anteriores, mas ultimamente eu tenho escutado bandas diferentes. Não que eu tenha deixado de gostar da música dos escoceses, mas há tempos eles não lançavam nenhuma música nova...

Pra suprir essa carência de novidades, lançaram um novo disco (que ainda não saiu no Brasil), chamado de The BBC Sessions.

É uma coletânea de músicas tocadas ao vivo nos programas da BBC, entre 1996 e 2001.Essas versões já circulavam na internet há muito tempo, mas agora foram remixadas e masterizadas.

As dez primeiras faixas são músicas mais conhecidas, dos 4 primeiros álbuns da banda. Trocaram o nome de duas músicas, só pra confundir! As quatro faixas que fecham o disco são canções já conhecidas pelos fãs, mas que nunca tinham sido gravadas e lançadas oficialmente.

Muitos fãs reclamam que a banda mudou muito sua sonoridade no decorrer dos anos. Eles não terão o que reclamar, pois o novo álbum foi gravado no início da carreira da banda, e traz o clima melancólico dos primeiros discos, mesmo nas músicas "inéditas".

Os novos fãs terão oportunidade de conhecer as músicas que tornaram a banda conhecida no cenário indie internacional (se já não conhecem), mas com uma sensação de novidade.

Os fãs antigos que gostam da fase atual (como eu) vão ficar satisfeitos de qualquer jeito, pois pra eles qualquer coisa que o Belle and Sebastian tocar vai ficar boa (exagero!)

Há ainda uma versão dupla do CD que vem com um disco bônus com canções gravadas num show em Belfast, em 2001.

O Belle and Sebastian agora voltou à minha lista de bandas mais ouvidas. Pelo menos por um tempo.

10 janeiro 2009

Jaydiohead

jaydiohead_cover

Oh não, o que fizeram com o Radiohead?

A culpa é do DJ Minty Fresh Beats! Ele misturou trechos das músicas do Radiohead com as do Jay-Z, resultando no álbum Jaydiohead.

O disco é muito bem realizado, embora não tenha autorização de nenhuma das partes. E o resultado deve agradar os fãs de rap e hip-hop, e alguns fãs do Radiohead. Não eu.

Tentei ouvir o disco inteiro, mas é muito cansativo. No entanto, acredito que algumas músicas têm potencial para tocar em baladas. Seria no mínimo inusitado ver a galera dançando ao som de Radiohead.

Para visitar o site do projeto, clique no link abaixo:

http://www.jaydiohead.com/

08 janeiro 2009

Motofone F3

Motofone F3 Há pouco mais de um ano, uso um celular Motofone F3. Talvez seja o telefone com menos funções existente no mercado, mas ele tem me atendido super bem.

Basicamente, você pode usar o seu F3 para fazer ligações (com viva-voz), enviar SMS e usar o despertador. Nada de calculadora, calendário, joguinhos nem qualquer espécie de aplicativo. Simples assim.

Mas porque ele é bom? Primeiro, porque o design, se não é bonito, é no mínimo interessante. É um  dos telefones mais fino do mercado (9 mm de espessura) e fica muito confortável no bolso. Ele é muito barato (49 reais em um aparelho desbloqueado, dependendo da promoção, para telefone pré-pago). E a bateria dura muito tempo.

E porque ele é ruim? Ele só tem as funções mais básicas. E seu display mostra apenas 6 caracteres - imagine o esforço para ler e escrever uma SMS de 150 caracateres... Ele não tem memória de agenda nem de mensagens (é necessário utilizar a memória do SIM card).

E porque ele é legal? Quem não conhece o aparelho provavelmente terá dificuldades de utilizá-lo na primeira vez, sem ler o manual ou ouvir a explicação de alguém. Já desafiei diversas pessoas e descobrirem as funções do aparelho e elas quase sempre fracassam. Dessa forma, mesmo com um telefone fajuto, você pode se divertir seus amigos que estão felizes com seus iPhones e Blackberrys, mas apanham do seu telefone!

E pra quem eu recomendo o aparelho? Pra quem quer ter uma segunda linha, pra utilizar um chip de outra operadora com alguma promoção interessante. Assim você continua com seu aparelho moderno na sua linha principal, mas carrega um outro telefone que não incomoda seu bolso e não fica te dando preocupações com carga de bateria. E ainda é um aparelho descolado!

03 janeiro 2009

Roberto Carlos Cover

Não consigo gostar de ouvir o Roberto Carlos cantar. Mas tenho que admitir que ele é um grande compositor. Prova disso são as inúmeras versões de outros artistas para suas músicas.

Pra mim, os Titãs são a melhor banda cover de Roberto Carlos que existe! Já gravaram ótimas versões de É Preciso Saber Viver, Querem Acabar Comigo, e mais recentemente O Portão.

O Skank estourou com É Proibido Fumar e o Jota Quest transformou Além do Horizonte em um sucesso. Fernanda Takai gravou uma versão de Debaixo dos caracóis dos seus cabelos. O Los Hermanos costumava apresentar Traumas em seus shows.

Mas, embora o Roberto Carlos cultive um cabelo horroroso, ele tem estilo. Só ele é capaz de cantar um funk com MC Leozinho e falar em "chapa quente" sem perder a classe.

Eu vou continuar sem ouvi-lo cantar, e sem assistir ao especial de fim de ano da Globo. Mas se os melhores artistas do rock nacional continuarem gravando suas músicas, eu acho que vou gostar...