boo-box

26 dezembro 2009

Lulina – Cristalina

Lulina - Cristalina Primeiro li uma reportagem na Billboard. Depois na Rolling Stone. Os Pullovers cantaram uma música dela (que estava no show a poucos metros de mim). Descobri que não podia mais ignorar sua existência e resolvi ouvir o álbum Cristalina, dispónível para download no Trama Virtual.

Lulina me conquistou logo na primeira música, antes mesmo que eu tivesse ouvido. O título? “Criar minhocas é um negócio lucrativo”. As canções são recheadas de humor, ácido ou non sense, e aparecem alguns palavrões. Canta sobre extraterrestres, o número 13, e sobre as gírias paulistanas.

Com uma voz singela, que parece não se esforçar, Lulina lembra o estilo de Fernanda Takai, mas com um irresistível sotaque pernambucano.

Seja bem vindo à Lulilândia.

23 dezembro 2009

Pequeno conto infantil

- Você tem barba e o tio Marcelo não!

- Você gosta de barba?

- Eu não!

- Mas por que?

- Quem tem barba é o pirata lá do fundo do mar. A Chapeuzinho não tem barba. O caçador tem. O lobo também tem…

Ainda bem que é por isso. Não sei como eu ia aceitar uma resposta: “Porque é feio!”. A sinceridade infantil às vezes pode doer.

Ludov e Conjunto Vazio no CCSP

Domingo, 20 de dezembro, lá estava em no Centro Cultural São Paulo para assistir meu quarto show do Ludov de 2009 (e o segundo do final de semana).

Dessa vez, a abertura foi a estreia do Conjunto Vazio, de Thadeu Meneghini, ex-Banzé. A banda, que ganhou até uma reportagem na revista Rolling Stone desse mês, fez um show bastante inusitado e repleto de participações especiais, como Chuck Hipólito e Mauro Motoki.

20-12-09_1826

Com músicas de Fábio Jr, Odair José e mesmo do Banzé, numa performance bastante teatral de Thadeu, a banda conquistou os presentes e criou muita expectativa sobre o EP que devem lançar em breve.

O Ludov fez uma espécie de continuação do show do dia anterior. Canções do trabalho mais recente, Caligrafia, foram tocadas novamente, mas dessa vez o Disco Paralelo apareceu mais, em músicas como “Rubi” e “Delírio”.

20-12-09_1913

Foi um belo encerramento de ano. Uma pena que tive que sair correndo pra poder viajar e não vi as músicas do bis.

Vídeos das apresentações:

Conjunto Vazio

Uma questão de gosto

Síndrome de brega

Um homem sem qualidades

Ludov

Rubi

Delírio (Sob as asas)

Terrorismo Suicida

Mecanismo

21 dezembro 2009

Os 5 melhores discos nacionais de 2009

Dos 5 discos escolhidos, 2 são independentes, e 1 é de uma cantora que surgiu na internet. Isso me leva a pensar que ainda há muitos bons discos independentes espalhados pelo Brasil afora, mas que ainda não tive a oportunidade de conhecer.

FolderArnaldo Antunes - Iê Iê Iê
Depois de décadas de carreira, parece que o cantor atingiu seu auge criativo. "Iê Iê Iê" traz canções dançantes, assobiáveis, reflexivas. É rock and roll sem ser barulhento, pop sem ser fútil e poético sem soar piegas. Arnaldo ainda separou um tempo em 2009 para gravar um disco infantil, "Pequeno Cidadão".

Ana Cañas - Hein Ana Cañas - Hein?
Pra mim, Ana Cañas era música de menininha. Não é preconceito, mas as canções do primeiro álbum tem maior aderência no universo feminino, isso é fato. No seu segundo trabalho, parcerias com Liminha e Arnaldo Antunes a fizeram soar bem mais rock and roll. Hein? causa estranheza a quem conhecia a garota que cantava “Devolve, Moço”. A carismática cantora expandiu seu público e passei a gostar também do primeiro disco.

Ludov - CaligrafiaLudov - Caligrafia
Lançado a conta gotas para download gratuito - a cada semana um show ao vivo em webcast e 3 ou 4 músicas disponibilizadas, Caligrafia traz um Ludov diferente. Há o power pop que se aproveita da voz poderosa de Vanessa Krongold em "Terrorismo Suicida" e "Vinte por cento", mas também canções MPBísticas como "Magnética" e "Mecanismo". Caligrafia reúne as experiências e influências individuais de cada um de seus músicos e trata como uma banda. Pode não soar uniforme como o Disco Paralelo, o álbum anterior, mas apresentou muitas das melhores músicas do ano.

General Image B2W Mallu Magalhães - Mallu Magalhães
O primeiro álbum da cantora era só uma apanhado das canções que ela compôs, que era essencialmente o que hoje é rotulado como neo-folk, mas não tinha uma unidade e a qualidade das músicas oscilava. O novo trabalho lançado há menos de um mês surpreende. "Compromisso" e "Bee on the grass" são puro Beatles. "Shine Yellow" é um reggae fofo; "Versinho de número um" e "O Herói, O Marginal" poderiam ser do Los Hermanos. Mallu juntou o que há de melhor em suas principais influências musicais e gravou um disco formidável.

Folder Banda Gentileza - Banda Gentileza
É uma banda que você adora. Se você discorda disso, é porquê ainda não ouviu. Só fui conhecer o álbum depois de ler diversas críticas positivas nos melhores blogs musicais. E depois também escrevi sobre eles.

Leia também: Os 5 melhores discos internacionais de 2009

20 dezembro 2009

Ludov e Pullovers no CCSP

O Ludov e o Pullovers tem muito em comum. Além das semelhanças musicais, dividem dois integrantes: Habacuque Lima, guitarrista do Ludov passou a tocar também com os Pullovers; Bruno Serroni, baixista do Pullovers tem tocado como músico de apoio do Ludov desde o lançamento do último álbum da banda.

No sábado, 19 de dezembro de 2009, as duas bandas dividiram o palco do Centro Cultural São Paulo.

A noite começou com a apresentação dos Pullovers. Nunca tinha ouvido o disco, mas adorei. Me lembrou um pouco o Pública, de Porto Alegre, e acho que isso é uma coisa boa. Cantaram o álbum Tudo que eu sempre sonhei na íntegra e a canção Teu Perfume, composição de Habacuque já conhecida pelos fãs do Ludov. Mauro Motoki ainda fez uma participação em Todas as canções são de amor.

19-12-09_1904

Cheguei em casa e já baixei o disco (legalmente, no site da banda). É muito bom ir a shows sem saber o que te espera e voltar satisfeito com o resultado.

Finalmente, chegou a hora do Ludov tocar. A banda programou dois shows do CCSP nesse final de ano, um no sábado e outro hoje. E ressaltaram: serão dois shows diferentes!

Abriram a apresentação com Gramado, e a participação do público já impressionou.

19-12-09_2019

São Paulo é a cidade do Ludov e o Centro Cultural São Paulo é a casa da banda. Dessa forma, todos os shows lá realizados tem tudo pra se tornar memoráveis. É um lugar onde a banda e o público se entendem, e ficam à vontade.

O setlist passou por diversas canções de Caligrafia, o álbum mais recente, mas também foram tocados clássicos como Kriptonita, Dois a Rodar, e Trânsito, num bis não programado.

Do Disco Paralelo, só foi tocada Refúgio. Uma pena, pois é o melhor álbum deles. Provavelmente as outras canções serão tocadas no show de hoje.

O show foi curto, e terminou sem várias das músicas queridinhas dos Ludovicos. De certa forma, isso mostra que a banda já possui tantas composições interessantes que sempre vai faltar algo nos shows.

Foi o terceiro show do Ludov que fui em 2009. E já estou com expectativa para o próximo!

Abaixo, alguns vídeos de ontem:

Pullovers:

Tudo que eu sempre sonhei

Teu Perfume

Todas as canções são de amor

Ludov:

Luta Livre

Paris Texas

Notre Voyage

Reprise

Avatar

avatar A imprensa tem tratado o filme Avatar, de James Cameron, como uma revolução no mundo cinematográfico. Concordo. Os avanços técnicos são impressionantes.

A animação é realista, os efeitos tridimensionais são convincentes e te dão a sensação de estar dentro da história, principalmente em corredores compridos e no meio da vegetação. O som também ajuda nesse sentido. Ou seja: é um filme pra ser assistido no cinema.

E a história? A ideia inicial é boa, mas foi muito mal aproveitada. Chega a ser um filme bobo. E cansativo. Depois de duas horas e meia, os efeitos especiais não impressionam tanto.

O grande mérito de Avatar é servir de inspiração para os próximos filmes de Hollywood, e desenvolver tecnologia. De certa forma, também inibe a pirataria – afinal ninguém tem um cinema 3D em casa. E isso já é muito, acreditem.

Os 5 melhores discos internacionais de 2009

Usualmente, as discussões em torno das listas de fim de ano fica em torno de quem ficou de fora, e não de quem está dentro dela. Limitei a 5 o número de álbuns eleitos, o que me deixou com um aperto no coração ao não incluir o Muse, Matt & Kim, Lily Allen e muitos outros. Mas não vamos discutir as ausências, o que importa é a lista dos 5 melhores discos internacionais de 2009:

God Help The Girl God Help The Girl - God Help The Girl
É um projeto solo do vocalista do Belle and Sebastian, Stuart Murdoch. Detalhe: aqui ele não é o vocalista principal. Diversas cantoras desconhecidas foram convidadas para cantar nessa empreitada. Como uma espécie de ópera-rock, o disco apresenta uma série de músicas com personagens em comum, e parece - muito - a banda escocesa. Natural, pois o Belle and Sebastian toca em todo álbum. Com belas e fofas melodias e letras inteligentes, God Help The Girl é uma extensão do trabalho de uma das bandas mais populares do rock alternativo.

 

Folder Julian Casablancas - Phrazes For The Young
Pegue os Strokes, tire as guitarras marcantes e deixe a voz soar de forma mais natural, sem distorções. Uma análise simplória definiria assim o disco solo do vocalista Julian Casablancas. É um album curto - apenas 8 músicas - mas muito gostoso de se ouvir. Com influências dos anos 80, muitos barulhinhos de teclado e uma veia dançante, foi uma boa surpresa pra mim, embora os críticos da indústria musical não tenham gostado muito do álbum.

 

Morrissey - Years Of Refusal Morrissey - Years of Refusal
O ex-vocalista dos Smiths permanece como um dos poucos tiozões da música que ainda está no auge de sua criatividade. Letras inspiradas e que te fazem pensar acompanhadas de melodias marcantes.Também lançou o álbum Swords no final desse ano, mostrando que o show deve continuar.

 

Folder Arctic Monkeys - Humbug
Cercado de expectativa, o disco surpreendeu os fãs. Onde estavam os garotos que cantavam canções que faziam o público pular nas pistas? À primeira audição, minha conclusão foi um "Eu acho que não gostei". Dando mais uma chance, tomei gosto pelas mudanças do álbum, e já fiquei com uma pulga atrás da orelha: o que será que os macacos do ártico irão aprontar da próxima vez?

 

Manners Passion Pit - Manners
Difícil um disco de estreia entrar numa lista de melhores - mas esse merece. Pop dançante, com riffs memoráveis e voz em falsete fizeram do Passion Pit uma das mais interessantes bandas que apareceram nos últimos tempos. E Little Secrets é muito viciante!

14 dezembro 2009

Os 17 anos do Karnak

Quando o Karnak, banda paulistana liderada por Andé Abujamra, anunciou o fim de suas atividades em 2002, fiz uma lista dos 5 shows que eu nunca teria a oportunidade de assitir ao vivo:

  1. Beatles
  2. Mutantes
  3. Nirvana
  4. Mamonas Assassinas
  5. Karnak

Fui a 2 shows da volta dos Mutantes, e risquei-os da lista.

No final de 2006, o Karnak resolveu fazer um show. E desde então, eles fazem o seu show de aniversário todo final de ano. E no último sábado, finalmente pude assistir à banda mais incompreendida do mundo ao vivo, no aniversário de 17 anos!

Todos os ingressos do SESC Pompeia para as apresentações de sábado e domingo foram vendidos – o que rendeu comparações ao AC DC por parte da banda. André Abujamra até arriscou um solo de guitarra deitado no chão tal qual Angus Young.

12-12-09_2226Embora o último disco de inéditas seja de 2001, as canções estavam bem frescas na memória dos fãs – de idade média bem alta (me senti um pirralho).

E o que se viu foram músicos felizes de estarem no palco, fazendo o que sabem de melhor. Recheado de bom humor e improvisos, o show rendeu muitas risadas e fez a plateia cantar bastante. E o clima de celebração e diversão era contagiante.

André Abujamra se deu ao luxo de cantar “Maria Inês” lendo a letra, e transformou isso num diferencial da apresentação! Aliás, além de músicos, todos são praticamente atores. Diversas situações são encenadas discretamente no decorrer do show, e são parte do espetáculo.

Pela primeira vez na vida pude cantar a plenas pulmões canções como “Estamos Adorando Tóquio” e “Juvenar” sem que as pessoas próximas de mim achassem que fiquei doido!

Ao final da apresentação, André Abujamra dedicou o show aos filhos da banda. (Fico pensando no quanto seria inusitado ver meu pai se apresentando num palco cantando músicas engraçadinhas, fazenda dancinhas bestas e pulando numa cama elástica de ginástica). Terminou dizendo que o Karnak é eterno. E eu acho que concordo.

Alguns vídeos que fiz:

Estamos adorando Tóquio

O mundo

Juvenar

Universo Umbigo

3 Aliens in LA