Pular para o conteúdo principal

Nerd criança x nerd adulto

À medida em que o tempo passa, algumas coisas que eram legais passam a não ser tão interessantes assim. Outras você descobre que são realmente boas só depois de algum tempo.

Afinal, a mente de um garoto de 7 anos é diferente de um rapaz de 25. Eu tava refletindo sobre o assunto e resolvi preparar uma lista. Uma não, três.

Coisas que eram legais mas não são mais

Onde está Wally?

Onde está Wally - DesenhoNão falo sobre os livros, qua ainda podem ser divertidos. Estou me referindo ao desenho animado que passava na TV Colosso. Era o primeiro do dia, que me obrigava a acordar cedo só pra assistí-lo. Recentemente comprei um DVD com alguns episódios e foi difícil chegar até o final.

Spice Girls

spice-girls-banda-5941d

Eu tinha até o CD delas! O que elas podem me proporcionar hoje são bons momentos de nostalgia, que duram 3 minutos ou menos. Acho que é o maior tempo possível que consigo passar ouvindo a banda.

Changeman

Changeman

Quase comprei o box de DVDs lançado recentemente com a série. Mas resolvi assistir um episódio antes. Ou melhor, meio episódio. É muito chato!

MTV

MTV Logo

Se fosse pra passar 24 horas na frente da telinha, que fosse na MTV. Ela ainda tem alguns programas interessantes, mas são a minoria. O grande problema é que os ídolos da moda dão ânsia de vômito.

Tamagotchi

Tamagotchi

Eu não era um criador ideal para meus bichinhos virtuais. Costumava dar muito sorvete e eles ficavam engordando. Mas tem comida melhor que sorvete?

Coisas que não eram legais mas agora são

Gol de Quem?, do Pato Fu

Pato Fu - Gol de quem “Olha só o disco que ganhei de uma bandinha daqui de Belo Horizonte!” Não consegui gostar. Em 1994, aos 10 anos de idade eu ainda não tinha maturidade musical pra ouvir o som revolucionário do Pato Fu.

Quadrinhos de super-heróis

Capitao América 182Minha motivação pra aprender a ler antes de ensinarem na escola foram os quadrinhos da Turma da Mônica, que passaram a acompanhar minha rotina diária. Mas um dia ganhei um gibi do Capitão América. Não entendi nada. Apenas alguns anos depois passei a ler super-heróis, rotina que mantenho até os dias de hoje.

Homer Simpson

Homer Simpson SupermanEu adorava o Bart Simpson, me identificava com o pentelho embora meu comportamento fosse muito melhor que o dele. E o Homer era só um besta. Ele continua um besta, mas hoje isso é motivo de minha admiração pela personagem.

Futebol

São Paulo LogoEu realmente não estava nem aí pra futebol. Com o primeiro título mundial do São Paulo, resolvi escolher um time pra torcer. Paulistano de nascença, a escolha acabou sendo óbvia e virando uma paixão ao longo dos anos.

Sílvio Santos

Sílvio SantosAchava Sílvio Santos era insuportável. De uns tempos pra cá, ele vem mudando. Parece que está caducando e tem resquícios de taradisse. No entanto, agora eu morro de rir do velho, e o reconheço como um fantástico apresentador. O mais engraçado é que ele sempre fala as mesmas frases, na mesma ordem, e eu acho graça todas as vezes que assisto.

Coisas que sempre foram legais

Caverna do Dragão

Caverna do DragãoFoi um desenho que marcou época e se destacou entre os demais. Não era o meu preferido, mas me divertia. Acabou me influenciando a gostar de RPG e Senhor dos Anéis.

Super Mario Bros

Super Mario Bros - NESPular na cabeça de tartarugas, comer cogumelos, derrotar o Bowser e salvar a princesa. Esse é o script dos melhores jogos de videogame desde sempre. A única diferença é que o Bowser se chamava Koopa.

Chaves

Chaves Humor puro e nonsense. Repetitivo, sempre engraçado.

Dinossauros

Jurassic ParkSe fosse pra eu ter um animal de estimação seria um dinossauro. Mas isso é impossível no atual status de desenvolvimento da ciência, então continuo sem nenhum bichinho no quintal.

E.T.

et“E.T. telefone minha casa.” Essa frase aparentemente sem nexo já me emocionou. Várias vezes, em várias épocas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os patos de Patópolis e o Pato Fu

Recentemente, enquanto lia uma revista do Ducktales (os caçadores de aventuras, todos eles são grandes figuras), me deparei com um quadrinho onde o Capitão Bóing fazia uma ameaça aos seus adversários invocando o poder do Pato Fu (ou seja, o kung fu dos patos). Achei a referência divertida, postei no Twitter, a própria banda retweetou a publicação, mas achei que era um caso isolado.


Pra quem conhece a história da banda, o uso desses termos faz todo sentido. O nome Pato Fu foi inspirado em uma tira do Garfield onde ele lutava Gato Fu.


Normalmente esse tipo de referência é chamado de "easter egg", termo em inglês para ovo de páscoa. É uma surpresa escondida na narrativa (seja ela em quadrinhos, prosa, cinema etc) que não tem influência na história. Assim, quem conhece a referência acha interessante, se diverte um pouco mais e pra quem não conhece a vida continua como se nada tivesse acontecido.

Algumas semanas depois, lendo o volume "A Cidade Fantasma", da coleção do…

O custo de um carro popular é muito maior do que você pensa (uma história real)

Nunca tive o sonho de comprar um carro, até mesmo porque nem gosto de dirigir fora do videogame. E como até pouco tempo atrás eu tinha transporte da empresa para o trabalho, comprar um carro seria um capricho muito caro e desnecessário. Até que voltei para Belo Horizonte e senti a necessidade de comprar um automóvel para ter um pouco mais de conforto. Comprei meu primeiro carro em maio de 2014.

Em 30 meses e pouco mais de 43.000 km rodados, o meu carro gerou um custo mensal de R$1407,02.


Esse valor não inclui o valor que paguei no automóvel, ele refere-se apenas a gastos realizados que não poderão ser repostos com a venda do carro. Pode até parecer um valor muito alto, mas ele foi rigorosamente calculado e pode surpreender os desavisados.

E veja só, meu carro não é extravagante: é um Volkswagen up! com a maioria dos opcionais. Tem motor 1.0, consome muito pouco combustível e a manutenção é relativamente barata. É que mesmo um carro popular pode sair muito caro.

R$27.044,14 com despesas …

A regra básica para verificar se algo é verdade na internet

Um dia eu ainda quero compreender o que se passa na cabeça de alguém que inventa um boato e espalha pelo mundo. Será que o objetivo é apenas ser um agente do caos ou simplesmente rir das pessoas que acreditam. Só sei que não é de hoje que essas coisas existem (ou você realmente acredita que a Xuxa fez um pacto com o demônio e o Fofão tinha um punhal dentro do seu boneco?), só sei que a internet amplificou o alcance e a velocidade de todo tipo de boatos.

Por muitas vezes atuei (e continuo atuando) como um desmascarador de mensagens falsas entre os membros da minha família e amigos mais próximos, mas não adianta: se antes as bobagens eram espalhadas via e-mail, a diferença é que agora elas chegam via WhatsApp. Tento fazer o papel de mensageiro da verdade, mas é difícil ter sucesso...

Não espalho nada que eu não tenha verificado ou não confie na fonte. Se já espalhei alguma bobagem, pode ter certeza que foi na ignorância e que sinto vergonha por isso. Hoje em dia é muito fácil procurar …