Pular para o conteúdo principal

SWU Music + Arts Festival

Itu foi tomada pelo festival Starts With You (SWU) no últimos dias. A cidade é conhecida por ter coisas grandes, e o SWU foi assim. Preço grande, filas grandes, problemas enormes de infraestrutura, longas caminhadas. E algumas das maiores bandas do Brasil e do mundo – o que fez o festival ter valido a pena.

P1000141Benvindo ao SWU

O primeiro dia teve como atração principal o Rage Against The Machine. Para uns 70% do público, mas não pra mim.

P1000144Tartarugas da mostra de arte sustentável

The Apples In Stereo tocaram no palco de bandas novas (apesar de seus quase 20 anos de carreira) tiveram a ingrata incumbência de disputar o público com Os Mutantes e Los Hermanos, duas das minhas bandas preferidas. Ainda assim, optei pela apresentação dos norte-americanos – que foi a melhor da noite.

P1000104 The Apples In Stereo

Vi só o comecinho d’Os Mutantes e o final do Los Hermanos. Mas foi o suficiente pra constatar que o grupo de Sérgio Dias perdeu muito com a saída de Arnaldo e Zélia Duncan e confirmar que os cariocas não tem mais a unidade de uma banda.

Com as decepções acima, o show do palco principal que mais me agradou foi o do Brothers of Brazil. A mistura de punk e bossa nova de Supla e João conseguiu surpreender boa parte do público.

P1000050Brothers of Brazil 

Ainda assisti o show inteiro da Mallu Magalhães que, conquistou os presentes com a fofurice de suas músicas, mas esbanjou insegurança.

P1000067Mallu Magalhães

Ainda vi um pouco de Superguidis, Black Drawing Chalks, Cidadão Instigado, Curumin & The Aipins, Infectious Grooves, Sobrado 112, The Mars Volta e Rage Against The Machine.

P1000079Cidadão Instigado 

O segundo dia do festival prometia mais, com atrações internacionais mais interessantes.

foto(1) Longa caminhada

Musicalmente, o dia começou com a surpreendente apresentação dos pernambucanos do Volver.

P1000149Volver

Passei por shows d’O Teatro Mágico, Jota Quest e Luisa Maita. Ainda à luz do dia e com cansaço acumlado do dia anterior fiquei boa parte do tempo sentado enquanto a multidão ainda era pequena.

P1000156 Não reparem na ausência de cabelos em determinadas regiões de minha cabeça 

Tulipa Ruiz levou muito gente para o palco de novas bandas. Eu, inclusive.

P1000158Tulipa Ruiz

Depois das bandas brasileiras, começou a série de shows da constelação de estrelas internacionais.

Conhecia apenas duas músicas do Sublime with Rome. Mas mesmo se não conhecesse, seria impossível ficar parado no animadíssimo show dos californianos.

Atravessei 50 mil pessoas para chegar na grade do show da Regina Spektor. Ainda assim, longe do palco, por causa da pista premium. Foi nesse show que me lembrei que o festival ainda tinha uma tenda de música eletrônica – pois o som estava tão alto que atrapalhava o show da cantora e pianista russa.

P1000171 Regina Spektor, o mais perto o possível, ainda assim longe

Hora da Joss Stone, num show dançante em que mesmo com o corpo cansado e dolorido, não fiquei parado. E eu ainda tinha que guardar energias para o grande finale. Mais uma vez estava lá na grade.

P1000174Joss Stone no telão

Quando a Dave Mathews Band subiu no palco, minha cabeça já estava pensando no Kings of Leon. Então o efeito de tempo psicológico foi horrível, e os minutos não passavam de jeito nenhum.

Finalmente, a banda que me convenceu a me deslocar para uma fazenda no meio do estado de São Paulo começou seu show. O Kings of Leon desfiou hits e ainda tocou duas músicas do novo disco. E assim terminou minha grande aventura no SWU, em Itu.

P1000178Kings of Leon

 DSC02967_cropA trupe joseense em Itu

Comentários

  1. Bom comentário, menino. =)

    Vi muitas reclamações do som da tenda eletrônica ter atrapalhado alguns shows, como o do Josh Rouse (que seria minha atração principal =D). Um puta erro da produção, mas no geral creio que valeu à pena sim e eu teria sofrido isso sem me arrepender, não fosse o Paul aí e minha atual liseira. =P Espero que eles corrijam as falhas para o ano que vem e que eu vá. \o/

    ResponderExcluir
  2. Júlia10:50 PM

    Que fofurisse!!!
    Morri de inveja do show da Joss Stone!!!
    Adooooro!
    Mas Mika lá vou eu!

    ResponderExcluir
  3. Você se dividiu em quantos pra ver esse tanto de show no sábado?? heheh Fiquei quietinho perto dos palcos principais e me limitei a estes shows, afinal de contas, estou sem duvida alguma nestes 70% que você citou aí.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Grande Lord, o que aconteceu foi que no primeiro dia eu não vi quase nenhum show inteiro. Ainda assim, foi muito bom!

    Você ainda deu sorte do Los Hermanos ser no mesmo palco do RATM e não precisou se mover!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pista premium, essa aberração dos shows no Brasil

O cantor inglês Ed Sheeran tocou ontem em Belo Horizonte em uma apresentação cheia de altos e baixos. Um problema que chamou a atenção foi o tamanho da semi-deserta pista premium. A impressão que dava é que nem um terço do espaço dedicado ao pessoal que pagou o dobro do preço estava ocupado. A foto abaixo tirada durante a apresentação do cantor dá um noção do vácuo existente.


A organização foi no mínimo incompetente para dimensionar o espaço. Fica feio e desagradável tanto para o público quanto para o cantor.

Reproduzo a seguir um texto que escrevi em 2014 para o Move That Jukebox onde falo um pouco sobre esse costume indigesto dos promotores de shows no Brasil.

******
O abismo entre a pista comum e a pista premium

A simples existência de uma pista premium em um show é o suficiente para prejudicar (e muito) a experiência de quem não está nela. Acho natural cobrar valores diferentes para lugares diferentes, mas desde que o lugar esteja marcado. É justo que a cadeira da primeira fila ten…

O que acontece se um vampiro morder um zumbi? E se um zumbi morder um vampiro?

Já parou pra pensar no que acontece quando um vampiro morde um zumbi? Será que o zumbi vira um vampiro? E quando a situação é a inversa? Será que uma mordida de zumbi transforma o ser de dentes pontudos?
Tanto vampiros quanto zumbis são seres que podem ser classificados como "mortos-vivos". Isso significa que, apesar deles conseguirem executar certas ações que usualmente apenas os seres vivos são capazes, eles estão mortos. Na prática, se um vampiro morder um zumbi ou vice-versa não acontece nada. 

A razão desse efeito (ou da ausência de efeito) é que os zumbis mordem apenas seres vivos. Por esse motivo, eles não mordem outros zumbis, vampiros e múmias, por exemplo.
Por outro lado, os vampiros precisam se alimentar de sangue de seres vivos. E, embora os zumbis tenham sangue circulando em suas veias, eles já estão mortos.
Assim sendo, se um vampiro cruzar com um zumbi, certamente eles não se atacarão. E mesmo supondo que seja um vampiro doidão que queira morder um ser um put…

(Re)instalando o Android 4.1.2 no Samsung Galaxy S3

Atualizado em 18 de maio de 2013

No começo de fevereiro, Samsung Brasil fez a alegria dos proprietários do Galaxy S3 ao liberar mais uma atualização do Android para o aparelho. Conhecida como Premium Suite, a nova versão do firmware tem o Android Jelly Bean 4.1.2 com diversas customizações da fabricante coreana.

Acontece que alguns aparelhos passaram a apresentar inúmeros problemas após essa atualização (o meu entrou nessa lista). Procurei em diversos fóruns e sites a solução, e acabei não encontrando. Apenas constatei que eu não era o único que estava angustiado.

Entre os problemas apresentados após a atualização, estão:

Telefone não carrega a bateria ao plugar na tomada;Aparelho desliga sozinho;Aplicativos travam, forçando o reinício do sistema operacional;Sobreaquecimento;Telefone não recebe dados conectado ao Wi-Fi;Lentidão extrema;Interface TouchWiz sem fluidez;Consumo excessivo de energia. Meu telefone apresentou quase todos esses sintomas. Isso é meio bizarro, pois de uma hora p…