boo-box

08 novembro 2010

Scott Pilgrim Contra o Mundo

Scott Pilgrim vs. the WorldScott Pilgrim não é um filme pra você. Ou talvez seja, mas a probabilidade é muito pequena. O que posso afirmar com tranquilidade é que se você fizer parte do reduzido público alvo do longa-metragem, vai sair do cinema com a sensação de ter visto um dos melhores filmes de todos os tempos.

Mas ver o filme no cinema pode ser uma tarefa difícil. Fracasso de bilheteria em todos os países que estreiou (exceto Trinidad e Tobago), Scott Pilgrim Contra o Mundo por pouco não ficou de fora dos cinemas brasileiros. A estreia foi adiada diversas vezes e na última sexta-feira o filme passou a ser reproduzida em apenas 4 cinemas da capital paulista.

Baseado na série em quadrinhos escrita por Bryan Lee O’Malley, o filme conta a história de um nerd canadense que toca em banda que se apaixona pela americana Ramona Victoria Flowers, que muda a cor do cabelo a cada semana e meia.

Basicamente, para ficar ao lado de Ramona, Pilgrim deve derrotar os 7 ex-namorados do mal da garota.

O que se tem é uma sucessão de cenas cheias de referências à cultura pop e videogames antigos, em duas horas de diversão para boa parte dos nerds do mundo. Inovador em todos os sentidos, o filme é a prova de que Hollywood finalmente entendeu como deve ser um filme baseado em videogame. Mas o público ainda não.

Se você tem menos de 25 anos, talvez as coisas não sejam tão legais assim. Boa parte do apelo visual e sonoro do longa-metragem tem origem nos videogames de 8 bits – e um pouquinho na era 16 bits também. E se tu não sabe o que é isso, não vou explicar também, pois o filme não é pra você.

O título chega a ser irônico. Scott Pilgrim não foi feito para o mundo. Foi feito contra o mundo. Enfrentá-lo e sair vitorioso desse duelo vale a pena. E você ainda ganha o título de nerd.

2 comentários:

  1. Tenho todos os requesitos que você citou achar necessários para a pessoa gostar deste filme. Contudo, apesar de ter gostado dos efeitos e das referências só tenho uma palavra pra definir esse filme: Bosta.

    Muito repetitivo, enredo previsível e pior, um fracasso na tentativa de ser inteligente.

    Falaram tanto, que decepção.

    ResponderExcluir
  2. OK, Ciniro, talvez a minha lista de requisitos não esteja completa e por esse motivo você não se encaixou.

    Mas "tentativa de ser inteligente"? O que é um filme inteligente pra você?

    Pra mim, chamar um filme de "inteligente" é falar que os fãs de todos os outros filmes são burros.

    ResponderExcluir