Pular para o conteúdo principal

Filmes muito loucos

Louco
Eu não consigo entender a dificuldade que os tradutores de nomes de filmes tem pra batizar as versões nacionais dos longa-metragens de Holywood. E o que mais me deixa incomodado é que nem criatividade eles tem: as mudanças basicamente se resumem a colocar um “louco” no título.

Não sei se comercialmente é mais interessante um nome do filme com esse adjetivo. Particularmente, me dá vergonha ir ao cinema pra ver esses filmes muito loucos.

Pra ter uma noção do tamanho desse problema cultural brasileiro, resolvi listar a maior quantidade o possível de filmes com “louco” ou “louca” no título. A lista aceita contribuições e você a confere na sequência, com os nomes originais entre parênteses.

1941 - Uma Guerra Muito Louca (1941)
A Gaiola das Loucas (The Birdcage)
A Loucas Aventuras de James West (Wild Wild West)
A Sauna das Loucas (The Ritz)
A Volta ao Mundo em 80 Dias - Uma Aposta Muito Louca (Around the World in Eighty Days)
Baladas, Rachas e um Louco de Kilt (The 51st State)
Cegos, Surdos e Loucos (See no Evil, Hear no Evil)
Cruzeiro das Loucas (Boat Trip)
De Médico e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco (The Dream Team)
Deu a Louca em Hollywood (Epic Movie)
Deu a Louca na Chapeuzinho (Hoodwinked)
Deu a Louca na Chapeuzinho 2 (Hoodwinked Too! Hood vs. Evil)
Deu a Louca na Cinderela (Happily N´Ever After)
Deu a Louca nos Astros (State and Main)
Deu a Louca nos Bichos (Furry Vengeance)
Deu a Louca nos Monstros (The Monster Squad)
Dez Mandamentos Muito Loucos! (The Ten)
Footloose - Ritmo Louco (Footloose)
Heróis Muito Loucos (Mystery Men)
Hot Rod - Loucos Sobre Rodas (Hot Rod)
Jovens, Loucos & Rebeldes (Dazed and Confused)
Jovens, Loucos & Rebeldes 2 (Dazed and Confused 2)
Kingpin - Estes Loucos Reis do Boliche (Kingpin)
Louca Escapada (The Sugarland Express)
Louca Obsessão (Misery)
Loucademia de Polícia (Police Academy)
Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro (Mad Money)
Louco Por Elas (A Guy Thing)
Louco por Sexo (Sexual Predator)
Louco por Você (Down To You)
Loucos de Amor (Mozart and the Whale)
Loucos de Amor (She`s So Lovely)
Loucos por ela (I Want Candy)
Madrugada Muito Louca (Harold & Kumar Go to White Castle)
Madrugada Muito Louca 2 (Harold & Kumar Escape From Guantanamo Bay)
Madrugada Muito Louca 3 (A Very Harold & Kumar Christmas)
Matinee - Uma Sessão Muito louca (Matinee)
O Louco Amor de Yves Saint-Laurent (L´amour fou)
Sexta-feira Muito Louca (Freaky Friday)
Tá Todo Mundo Louco (Rat Race)
Um Funeral Muito Louco (Eulogy)
Um Louco Apaixonado (How to Lose Friends and Alienate People)
Um Natal Muito, Muito Louco (Christmas with the Kranks)
Um Time Muito Louco (Major League)

Comentários

  1. De Médico e Louco Todo Mundo Tem um Pouco (The Dream Team)

    ResponderExcluir
  2. Loucos Por Ela (I Want Candy)
    E tem mais um... err... Louco por Sexo (Sexual Predator). Não é porno!

    ResponderExcluir
  3. Isso me fez lembrar desse vídeo sobre a sessão da tarde:

    http://www.youtube.com/watch?v=xEGxWJqvG5A

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pista premium, essa aberração dos shows no Brasil

O cantor inglês Ed Sheeran tocou ontem em Belo Horizonte em uma apresentação cheia de altos e baixos. Um problema que chamou a atenção foi o tamanho da semi-deserta pista premium. A impressão que dava é que nem um terço do espaço dedicado ao pessoal que pagou o dobro do preço estava ocupado. A foto abaixo tirada durante a apresentação do cantor dá um noção do vácuo existente.


A organização foi no mínimo incompetente para dimensionar o espaço. Fica feio e desagradável tanto para o público quanto para o cantor.

Reproduzo a seguir um texto que escrevi em 2014 para o Move That Jukebox onde falo um pouco sobre esse costume indigesto dos promotores de shows no Brasil.

******
O abismo entre a pista comum e a pista premium

A simples existência de uma pista premium em um show é o suficiente para prejudicar (e muito) a experiência de quem não está nela. Acho natural cobrar valores diferentes para lugares diferentes, mas desde que o lugar esteja marcado. É justo que a cadeira da primeira fila ten…

O que acontece se um vampiro morder um zumbi? E se um zumbi morder um vampiro?

Já parou pra pensar no que acontece quando um vampiro morde um zumbi? Será que o zumbi vira um vampiro? E quando a situação é a inversa? Será que uma mordida de zumbi transforma o ser de dentes pontudos?
Tanto vampiros quanto zumbis são seres que podem ser classificados como "mortos-vivos". Isso significa que, apesar deles conseguirem executar certas ações que usualmente apenas os seres vivos são capazes, eles estão mortos. Na prática, se um vampiro morder um zumbi ou vice-versa não acontece nada. 

A razão desse efeito (ou da ausência de efeito) é que os zumbis mordem apenas seres vivos. Por esse motivo, eles não mordem outros zumbis, vampiros e múmias, por exemplo.
Por outro lado, os vampiros precisam se alimentar de sangue de seres vivos. E, embora os zumbis tenham sangue circulando em suas veias, eles já estão mortos.
Assim sendo, se um vampiro cruzar com um zumbi, certamente eles não se atacarão. E mesmo supondo que seja um vampiro doidão que queira morder um ser um put…

Quanta inovação pode conter um chinelo?

Não, eu não vou falar das Havaianas. A história da fabricante de chinelos brasileira que coloriu seus chinelos (que eram) feiosos e passou a ser um ícone da moda mundial já foi suficientemente explorada como exemplo de inovação no mundo dos negócios.

Eu vou falar é da Florine Chinelos, marca bem menor, mas com um produto interessantíssimo e um potencial de crescimento tremendo. Conheci a história da empresa em uma palestra de Alexandre Robazza, do SEBRAE SP.


Parece bucha de banho, né? Mas na verdade é o mesmo material utilizado para fazer tapetes. Aliás, o chinelo foi criado numa fábrica de tapetes.
Incomodado com as tiras que sobravam na fabricação dos tapetes, o criador do produto Carlos Gasparini, buscava alguma utilidade para os retalhos, até que um dia teve a ideia de fazer um chinelo. Após várias tentativas e com o protótipo em mãos, foi procurar o SEBRAE.
Com o apoio do SEBRAE, patenteou o produto, registrou a marca e começou a produção. Claro que não foi da noite para o dia, h…