Pular para o conteúdo principal

Filmes muito loucos

Louco
Eu não consigo entender a dificuldade que os tradutores de nomes de filmes tem pra batizar as versões nacionais dos longa-metragens de Holywood. E o que mais me deixa incomodado é que nem criatividade eles tem: as mudanças basicamente se resumem a colocar um “louco” no título.

Não sei se comercialmente é mais interessante um nome do filme com esse adjetivo. Particularmente, me dá vergonha ir ao cinema pra ver esses filmes muito loucos.

Pra ter uma noção do tamanho desse problema cultural brasileiro, resolvi listar a maior quantidade o possível de filmes com “louco” ou “louca” no título. A lista aceita contribuições e você a confere na sequência, com os nomes originais entre parênteses.

1941 - Uma Guerra Muito Louca (1941)
A Gaiola das Loucas (The Birdcage)
A Loucas Aventuras de James West (Wild Wild West)
A Sauna das Loucas (The Ritz)
A Volta ao Mundo em 80 Dias - Uma Aposta Muito Louca (Around the World in Eighty Days)
Baladas, Rachas e um Louco de Kilt (The 51st State)
Cegos, Surdos e Loucos (See no Evil, Hear no Evil)
Cruzeiro das Loucas (Boat Trip)
De Médico e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco (The Dream Team)
Deu a Louca em Hollywood (Epic Movie)
Deu a Louca na Chapeuzinho (Hoodwinked)
Deu a Louca na Chapeuzinho 2 (Hoodwinked Too! Hood vs. Evil)
Deu a Louca na Cinderela (Happily N´Ever After)
Deu a Louca nos Astros (State and Main)
Deu a Louca nos Bichos (Furry Vengeance)
Deu a Louca nos Monstros (The Monster Squad)
Dez Mandamentos Muito Loucos! (The Ten)
Footloose - Ritmo Louco (Footloose)
Heróis Muito Loucos (Mystery Men)
Hot Rod - Loucos Sobre Rodas (Hot Rod)
Jovens, Loucos & Rebeldes (Dazed and Confused)
Jovens, Loucos & Rebeldes 2 (Dazed and Confused 2)
Kingpin - Estes Loucos Reis do Boliche (Kingpin)
Louca Escapada (The Sugarland Express)
Louca Obsessão (Misery)
Loucademia de Polícia (Police Academy)
Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro (Mad Money)
Louco Por Elas (A Guy Thing)
Louco por Sexo (Sexual Predator)
Louco por Você (Down To You)
Loucos de Amor (Mozart and the Whale)
Loucos de Amor (She`s So Lovely)
Loucos por ela (I Want Candy)
Madrugada Muito Louca (Harold & Kumar Go to White Castle)
Madrugada Muito Louca 2 (Harold & Kumar Escape From Guantanamo Bay)
Madrugada Muito Louca 3 (A Very Harold & Kumar Christmas)
Matinee - Uma Sessão Muito louca (Matinee)
O Louco Amor de Yves Saint-Laurent (L´amour fou)
Sexta-feira Muito Louca (Freaky Friday)
Tá Todo Mundo Louco (Rat Race)
Um Funeral Muito Louco (Eulogy)
Um Louco Apaixonado (How to Lose Friends and Alienate People)
Um Natal Muito, Muito Louco (Christmas with the Kranks)
Um Time Muito Louco (Major League)

Comentários

  1. De Médico e Louco Todo Mundo Tem um Pouco (The Dream Team)

    ResponderExcluir
  2. Loucos Por Ela (I Want Candy)
    E tem mais um... err... Louco por Sexo (Sexual Predator). Não é porno!

    ResponderExcluir
  3. Isso me fez lembrar desse vídeo sobre a sessão da tarde:

    http://www.youtube.com/watch?v=xEGxWJqvG5A

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os patos de Patópolis e o Pato Fu

Recentemente, enquanto lia uma revista do Ducktales (os caçadores de aventuras, todos eles são grandes figuras), me deparei com um quadrinho onde o Capitão Bóing fazia uma ameaça aos seus adversários invocando o poder do Pato Fu (ou seja, o kung fu dos patos). Achei a referência divertida, postei no Twitter, a própria banda retweetou a publicação, mas achei que era um caso isolado.


Pra quem conhece a história da banda, o uso desses termos faz todo sentido. O nome Pato Fu foi inspirado em uma tira do Garfield onde ele lutava Gato Fu.


Normalmente esse tipo de referência é chamado de "easter egg", termo em inglês para ovo de páscoa. É uma surpresa escondida na narrativa (seja ela em quadrinhos, prosa, cinema etc) que não tem influência na história. Assim, quem conhece a referência acha interessante, se diverte um pouco mais e pra quem não conhece a vida continua como se nada tivesse acontecido.

Algumas semanas depois, lendo o volume "A Cidade Fantasma", da coleção do…

O custo de um carro popular é muito maior do que você pensa (uma história real)

Nunca tive o sonho de comprar um carro, até mesmo porque nem gosto de dirigir fora do videogame. E como até pouco tempo atrás eu tinha transporte da empresa para o trabalho, comprar um carro seria um capricho muito caro e desnecessário. Até que voltei para Belo Horizonte e senti a necessidade de comprar um automóvel para ter um pouco mais de conforto. Comprei meu primeiro carro em maio de 2014.

Em 30 meses e pouco mais de 43.000 km rodados, o meu carro gerou um custo mensal de R$1407,02.


Esse valor não inclui o valor que paguei no automóvel, ele refere-se apenas a gastos realizados que não poderão ser repostos com a venda do carro. Pode até parecer um valor muito alto, mas ele foi rigorosamente calculado e pode surpreender os desavisados.

E veja só, meu carro não é extravagante: é um Volkswagen up! com a maioria dos opcionais. Tem motor 1.0, consome muito pouco combustível e a manutenção é relativamente barata. É que mesmo um carro popular pode sair muito caro.

R$27.044,14 com despesas …

As notícias falsas que confundiram o público da Campus Party MG

Tive o prazer de ministrar uma palestra na última edição da Campus Party em MG com o tema "Fake News - Como viver num mundo de mentiras". Em breve, essa palestra estará disponível no YouTube e, assim que tiver o link, compartilho com você.



No início da minha apresentação, mostrei algumas notícias e pedi para o público preencher um questionário avaliando se cada publicação era verdadeira ou falsa. TODAS eram falsas, por mais convincentes que parecessem.

O público da Campus Party é jovem e ligado em tecnologia, o que poderia nos levar à hipótese de que estariam mais antenados e conseguiriam identificar o que realmente aconteceu. Os resultados foram um pouco diferentes.

A primeira notícia falava que o plantão da Globo nos atentados de 11 de setembro interromperam um episódio de Dragon Ball Z. 44% do público estava convencido de que isso era verdade. Esse é um caso curioso, pois é muito comum encontrarmos pessoas que afirmam se lembrar do ocorrido, mas essa é uma espécie de memória…