Pular para o conteúdo principal

Ganso na elite do futebol mineiro

Você mora em Minas Gerais mas torce para um time de São Paulo?

É comum moradores do interior de Minas Gerais torcerem para times de São Paulo ou Rio de Janeiro. Não é algo tão absurdo assim. A distância de Araxá para Belo Horizonte, por exemplo, é muito grande para que os torcedores acompanhem o dia-a-dia de seus times no estádio. Se é pra torcer à distância, melhor então torcer para um time de mais popular, cujos jogos passem na TV com uma frequência maior.

Araxá Esporte - Ganso

Mas acontece que a cidade também tem um time, que acaba sendo o segundo clube de todos. O Araxá Esporte tem a simpatia de todo mundo. Por não enfrentar os grandes clubes, é possível também torcer para o Ganso sem prejudicar a paixão por outro clube, afinal o time nunca enfrentará o São Paulo ou o Fluminense. Ou nunca enfrentaria.

Me lembro de ir ao estádio Fausto Alvim quando criança, e correr pela arquibancada acompanhando a bola. E o Araxá Esporte Clube, mesmo sem expressão, fazendo a alegria da população da cidade que, sem outras opções, acabava indo torcer pro Ganso no estádio.

Nos últimos anos, o time oscilou entre a segunda e terceira divisão do campeonato até que o Araxá Esporte Clube sagrou-se campeão do módulo II e garantiu o acesso à elite do futebol mineiro. Foram 22 anos longe da primeira divisão – o que quer dizer que na minha vida inteira, só vi o Ganso jogar na segunda e terceira divisões.

Nas últimas semanas, a cidade viveu o clima de final de campeonato: com o time na primeira posição e com as chances de título crescendo, a expectativa ficou cada vez mais alta. O jogo contra o Ipatinga hoje deve ter sido a maior renda da história do clube.

Naturalmente, é necessário que a base se mantenha, e o time seja competitivo no campeonato do ano que vem. Difícil isso acontecer em times (muito) pequenos, pois qualquer jogador que se destaca acaba sendo vendido para um time de médio porte. Mas espero sinceramente que os patrocinadores continuem apoiando a equipe, o público continue indo ao estádio e que o time prospere.

Agora a torcida começa a pensar longe. Um bom desempenho no campeonato mineiro pode render participações no campeonato brasileiro ou na Copa do Brasil. Talvez o time consiga até ganhar a Libertadores antes do Corinthians.

Normalmente eu sou são-paulino mas atualmente nem ligo para os fracassos do time paulista: o Ganso tem me trazido muito mais alegrias. E hoje estou feliz, pois posso comemorar um título merecido, conquistado após uma grande sequência de jogos e coroado com um gol aos 42 minutos do segunto tempo.

Araxá está em festa, dizem que tem até congestionamentos! Trinta minutos após o término da partida, mais de 60 publicações de amigos apareceram na minha timeline do Facebook. E eu aqui comemorando de longe, doido pra vestir minha camisa e sair pelas ruas da cidade. Parabéns Ganso!

Comentários

  1. "É comum moradores do interior de Minas Gerais torcerem para times de São Paulo ou Rio de Janeiro." -> Discordo redondamente.

    "Talvez o time consiga até ganhar a Libertadores antes do Corinthians." --> Concordo plenamente.

    ResponderExcluir
  2. HAhahauhauha Raxei aqui .... ganhar a libertadores antes do corinthias...
    estive no estadio e realmente hoje foi uma festa...eu que acabei desanimando de futebol (acaba que comecei a achar uma puta perca de tempo) ... as vezes pq era corinthiano... (vc vai concordar) hahahaha... acabei empolgando com o esporte quando podemos torcer pelo time da nossa cidade...
    Valeu ganso! ;) Título merecido...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pista premium, essa aberração dos shows no Brasil

O cantor inglês Ed Sheeran tocou ontem em Belo Horizonte em uma apresentação cheia de altos e baixos. Um problema que chamou a atenção foi o tamanho da semi-deserta pista premium. A impressão que dava é que nem um terço do espaço dedicado ao pessoal que pagou o dobro do preço estava ocupado. A foto abaixo tirada durante a apresentação do cantor dá um noção do vácuo existente.


A organização foi no mínimo incompetente para dimensionar o espaço. Fica feio e desagradável tanto para o público quanto para o cantor.

Reproduzo a seguir um texto que escrevi em 2014 para o Move That Jukebox onde falo um pouco sobre esse costume indigesto dos promotores de shows no Brasil.

******
O abismo entre a pista comum e a pista premium

A simples existência de uma pista premium em um show é o suficiente para prejudicar (e muito) a experiência de quem não está nela. Acho natural cobrar valores diferentes para lugares diferentes, mas desde que o lugar esteja marcado. É justo que a cadeira da primeira fila ten…

O que acontece se um vampiro morder um zumbi? E se um zumbi morder um vampiro?

Já parou pra pensar no que acontece quando um vampiro morde um zumbi? Será que o zumbi vira um vampiro? E quando a situação é a inversa? Será que uma mordida de zumbi transforma o ser de dentes pontudos?
Tanto vampiros quanto zumbis são seres que podem ser classificados como "mortos-vivos". Isso significa que, apesar deles conseguirem executar certas ações que usualmente apenas os seres vivos são capazes, eles estão mortos. Na prática, se um vampiro morder um zumbi ou vice-versa não acontece nada. 

A razão desse efeito (ou da ausência de efeito) é que os zumbis mordem apenas seres vivos. Por esse motivo, eles não mordem outros zumbis, vampiros e múmias, por exemplo.
Por outro lado, os vampiros precisam se alimentar de sangue de seres vivos. E, embora os zumbis tenham sangue circulando em suas veias, eles já estão mortos.
Assim sendo, se um vampiro cruzar com um zumbi, certamente eles não se atacarão. E mesmo supondo que seja um vampiro doidão que queira morder um ser um put…

Quanta inovação pode conter um chinelo?

Não, eu não vou falar das Havaianas. A história da fabricante de chinelos brasileira que coloriu seus chinelos (que eram) feiosos e passou a ser um ícone da moda mundial já foi suficientemente explorada como exemplo de inovação no mundo dos negócios.

Eu vou falar é da Florine Chinelos, marca bem menor, mas com um produto interessantíssimo e um potencial de crescimento tremendo. Conheci a história da empresa em uma palestra de Alexandre Robazza, do SEBRAE SP.


Parece bucha de banho, né? Mas na verdade é o mesmo material utilizado para fazer tapetes. Aliás, o chinelo foi criado numa fábrica de tapetes.
Incomodado com as tiras que sobravam na fabricação dos tapetes, o criador do produto Carlos Gasparini, buscava alguma utilidade para os retalhos, até que um dia teve a ideia de fazer um chinelo. Após várias tentativas e com o protótipo em mãos, foi procurar o SEBRAE.
Com o apoio do SEBRAE, patenteou o produto, registrou a marca e começou a produção. Claro que não foi da noite para o dia, h…