Pular para o conteúdo principal

Quem não se decepcionou com o iPhone 5?

Foi-se o tempo em que o iPhone era o melhor smartphone do mercado. Se o Galaxy SII da Samsung ainda gerava dúvidas e dividia as pessoas, o Galaxy SIII surgiu para não deixar nenhum questionamento sem resposta. O anúncio de smartphones como o Optimus G da LG também aqueceu o mercado, e empresas como Sony, HTC e Motorola também tem se movimentado lançando produtos de altíssima qualidade.
iPhone 5
Os últimos meses foram repletos de rumores sobre como seria o novo smartphone da Apple. Referência em inovação, a empresa que ditou o mercado nos últimos anos precisava dar uma resposta ao mercado cada vez mais concorrido.

Finalmente, foi anunciado o iPhone 5 no dia 12 de setembro. Provavelmente, apenas dois grupos não se decepcionaram: os fãs cegos da maçã e quem não esperava nada da marca.

É inegável que o novo aparelho é uma boa evolução do iPhone 4S, mas ele não traz tantas mudanças radicais. Mais fino, mais leve, com a bateria melhor, isso era mais que esperado. O processador é mais veloz, a memória RAM aumentou. Agora tem conexão 4G (mas que não existe no Brasil). O Google Maps deu espaço a um novo programa de mapas da Apple. Novidade de verdade? Nenhuma.

Ainda assim, é de se esperar que o telefone seja um sucesso de vendas. Vejo duas razões principais pra isso. A primeira delas é que existe uma maçã impressa nas costas do aparelho. A marca é muito forte, e seria capaz de vender aparelhos sem explicitar nenhum dos dados técnicos. Mais do que clientes, tem fãs e seguidores. O outro motivo é que o iOS ainda é um sistema mais amigável que o Android,mais fácil de ser utilizado (por isso eu costumo chamar o iOS de computação de vovô) e, consequentemente, limitado.

A liderança do mercado de smartphones não é mais da Apple, e o novo iPhone não mostra potencial para uma retomada – até mesmo pelo seu elevado preço. Mas ainda assim, a maçã continuará sendo visada e os geeks atentos à cada de um de seus passos, aguardando as inovaçãos que definirão o futuro do mercado a cada ano.

Leia também:
Como comprar (legalmente) um iMac mais barato
Como as pessoas escolhem um tablet

Comentários

  1. Anônimo8:36 PM

    Os Geeks estão no Android ou a procura de um W8...
    E Apple errou feio mesmo no Iphone 5!

    ResponderExcluir
  2. Acabei de adquirir um Sony Xperia S. 1300 reais. Processador dual core 1.5. Camera de 12 mp. Tela 4.3" fullhd e gravação de video em 1080p. Integração com o Playstation. 32 G de memória interna. Android 4.0.4 e mais um monte de coisa... de gps a NFC.. enfim..

    muito, muito, muito melhor que qualquer iPhone (e mais barato)

    ResponderExcluir
  3. É o pior cego é o que não quer enxergar, sorte da maçã que ela tem muitos fans cegos.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10:41 PM

    Um iPhone melhor, mas que não justifica a troca nem para quem tem o iPhone 4. Realmente, um lixo! Q decepção...

    ResponderExcluir
  5. Anônimo11:57 AM

    Usuarios da apple contam com a melhor lista de aplicativos disponíveis do mercado. Se você consegue escrever seus proprios aplicativos, então será muito feliz com o android. Caso contrário vai sentir falta da leveza do touch e da qualidade das aplicações disponíveis na apple store.
    Saí do iphone4 para um defy+ com a promessa de um sistema operacional melhor, mais rápido e flexível. Pura enganação! A unica vantagem que ví foi a resistencia a água e maior autonomia da bateria, afinal é um telefone MUITO MAIS LERDO que o iphone 3gs.
    Se o android fosse melhor, as empresas estariam focadas em desenvolver aplicativos para ele e não para o iphone.

    Resumindo, não quero ofender nem me achar melhor que você mas a sua análise do iphone5 se limitou a design deixando para trás performance, estabilidade, usabilidade (não só para pessoas de idade).

    Com o iphone, lia emails, tirava fotos, fazia vídeos, postava em fórums. Com o defy+, fico tão p*to com a baixa performance que simplesmente perdi esta facilidade de usar o smart phone para quase tudo.

    O s3 tem vantagens de hardware, mas isso não é tudo.

    Estas comparações parecem com as comparações entre ferrari e lamborghini onde uma preza pela esportividade e outra pelo conforto do motorista.

    Para não deixar aqui uma tendência de fã fanatico(o que não sou), o cerberus é 10 vezes superior ao find my phone da apple, desde que você tenha root do celular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo tenho os dois iphone 4 e s3. E os aplicativos que existem para o iphone existem para o sansung e pior a maioria deles que são pagos para o iphone são gratuitos para s3. Não tem comparação do iphone com o s3. O itunes é o grande calcanhar do Iphone

      Excluir
    2. Anônimo5:10 PM

      o sua anta vc quis comparar um fusca com uma ferrari??
      O defy eh vazado e sempre foi.

      agora pega um S2 nem precisa pegar um S3 para ver qual eh melhor

      Iphone já foi a época dela como disse só os fanboys da maça mesmo

      Excluir
    3. Anônimo3:09 AM

      Comparar a qualidade dos aplicativos da Apple com os do android é a grande brincadeira. Prefiro 10 vezes a Apple.

      Coloque um iPhone e um android na mão de uma criança e vai ver qual é o sistema operacional mais intuitivo.

      Henrique, no caso o iPhone é a Ferrari ? Bom saber que até os anti Apple entendem que o hardware é impartível.

      Excluir
  6. Me decepcionei muito com a Apple e esse iPhone 5.
    Eu como fã da marca acredito que não estão fazendo jus ao legado deixado por Jobs em termos de inovação.

    Vou esperar pelo iPhone 5S ou iPhone 6 para substituir meu 4S.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

As notícias falsas que confundiram o público da Campus Party MG

Tive o prazer de ministrar uma palestra na última edição da Campus Party em MG com o tema "Fake News - Como viver num mundo de mentiras". Em breve, essa palestra estará disponível no YouTube e, assim que tiver o link, compartilho com você.



No início da minha apresentação, mostrei algumas notícias e pedi para o público preencher um questionário avaliando se cada publicação era verdadeira ou falsa. TODAS eram falsas, por mais convincentes que parecessem.

O público da Campus Party é jovem e ligado em tecnologia, o que poderia nos levar à hipótese de que estariam mais antenados e conseguiriam identificar o que realmente aconteceu. Os resultados foram um pouco diferentes.

A primeira notícia falava que o plantão da Globo nos atentados de 11 de setembro interromperam um episódio de Dragon Ball Z. 44% do público estava convencido de que isso era verdade. Esse é um caso curioso, pois é muito comum encontrarmos pessoas que afirmam se lembrar do ocorrido, mas essa é uma espécie de memória…

Pista premium, essa aberração dos shows no Brasil

O cantor inglês Ed Sheeran tocou ontem em Belo Horizonte em uma apresentação cheia de altos e baixos. Um problema que chamou a atenção foi o tamanho da semi-deserta pista premium. A impressão que dava é que nem um terço do espaço dedicado ao pessoal que pagou o dobro do preço estava ocupado. A foto abaixo tirada durante a apresentação do cantor dá um noção do vácuo existente.


A organização foi no mínimo incompetente para dimensionar o espaço. Fica feio e desagradável tanto para o público quanto para o cantor.

Reproduzo a seguir um texto que escrevi em 2014 para o Move That Jukebox onde falo um pouco sobre esse costume indigesto dos promotores de shows no Brasil.

******
O abismo entre a pista comum e a pista premium

A simples existência de uma pista premium em um show é o suficiente para prejudicar (e muito) a experiência de quem não está nela. Acho natural cobrar valores diferentes para lugares diferentes, mas desde que o lugar esteja marcado. É justo que a cadeira da primeira fila ten…

Quanta inovação pode conter um chinelo?

Não, eu não vou falar das Havaianas. A história da fabricante de chinelos brasileira que coloriu seus chinelos (que eram) feiosos e passou a ser um ícone da moda mundial já foi suficientemente explorada como exemplo de inovação no mundo dos negócios.

Eu vou falar é da Florine Chinelos, marca bem menor, mas com um produto interessantíssimo e um potencial de crescimento tremendo. Conheci a história da empresa em uma palestra de Alexandre Robazza, do SEBRAE SP.


Parece bucha de banho, né? Mas na verdade é o mesmo material utilizado para fazer tapetes. Aliás, o chinelo foi criado numa fábrica de tapetes.
Incomodado com as tiras que sobravam na fabricação dos tapetes, o criador do produto Carlos Gasparini, buscava alguma utilidade para os retalhos, até que um dia teve a ideia de fazer um chinelo. Após várias tentativas e com o protótipo em mãos, foi procurar o SEBRAE.
Com o apoio do SEBRAE, patenteou o produto, registrou a marca e começou a produção. Claro que não foi da noite para o dia, h…