boo-box

22 maio 2013

Big Data na ponta dos dedos

Uma das definições mais comuns de "Big Data" é "uma quantidade de dados muito grande para ser tratada com a capacidade computacional disponível". Essa tal capacidade computacional pode ser o seu computador, um mainframe ou um rede, depende do referencial. Fato é que Big Data trata de muita, mas muita informação.

Pensando assim, é possível perceber que a abrangência de um problema de big data tem aumentado vertiginosamente, junto com o crescimento da capacidade de armazenamento que temos hoje. Só hoje me dei conta que o cartão de memória de meu telefone celular (um micro SD de 32 GB) tem a memória equivalente a quase 90 mil disquetes de 5''1/4, utilizados no meu primeiro computador. Esse computador, aliás, tinha uma espantosa memória de 300 MB em seu HD. Esse plastiquinho que cabe na ponta dos dedos tem mais de 100 vezes a memória total do meu primeiro computador pessoal.

Por essa abordagem, um simples filme em full HD poderia ser considerado "big data" no começo dos anos 90. Só que esse termo não existia ainda. E dizer que a memória computacional ocuparia tão pouco espaço soaria como delírio.

Fato é que megabytes e gigabytes já são quase coisa do passado quando se trata de problemas complexos. Big Data trata de exabytes, ou quintilhões de bytes (10^18 EB). Ou 1.000.000.000.000.000.000 bytes. Pouca coisa, né?



Um comentário:

  1. Muito bom, eu li algumas coisas no bigdatabrasil.net e realmente estou muito interessado pelo assunto.

    O big data realmente é uma tendencia, e cada dia que passa, vai influenciar mais a vida das pessoas..

    Onde trabalho, no Road Solution, temos aplicado varias soluções de Big Data (Hadoop, MongoDB) em nossos softwares.

    abs.

    ResponderExcluir