boo-box

05 novembro 2013

Gregório, o Homem do Ano


Dia desses recebi um e-mail que, em um primeiro momento, me deixou muito feliz.

"Fala Gregório, mais uma...

Vc topa fazer uma entrevista com foto de uma página para a Revista Borigodofa*? Eles te consideram o "Homem do Ano de 2013" e queriam fazer esta matéria para a revista. Eles tem até o dia 07/11 (quinta) para isso.

A questão é arrumar tempo para isso tudo… (risos)

Abs,
Onofre*"

Uau! Eu, o homem do ano! Só que aí fui olhar o restante da mensagem encaminhada...

"Oi, Onofre, tudo bem?

Como nos falamos, gostaríamos de convidar o Gregório Duvivier para o abre da nossa seção de cultura. Vamos chamar a entrevista por ele ter sido o ‘homem do ano’ em 2013. Para isso, preciso de uma foto dele, que podemos marcar onde ele quiser e demora uns 30 min, é um retrato simples. A entrevista é curtinha, ou seja, podemos fazer por telefone.

Meu deadline é dia 7/11. Você acha que ele consegue? Queremos muito fazer com ele.

Ah, estou te mandando alguns exemplos de entrevistas que já fizemos em outras edições.

Você me dá um retorno o quanto antes?

Bjs, 

Zefirina"

Tava bom demais pra ser verdade. Eu acredito no meu potencial pra ser o homem do ano, mas ainda tá cedo pra humanidade reconhecer isso. Eu era o Gregório errado.

Pensei então na oportunidade que tinha nas mãos: eu podia dar uma entrevista por telefone falando todo tipo de asneira, ou mesmo mencionando que eles deveriam conhecer meu xará, um tal de Gregório Fonseca. Poderia trollar a imprensa.

Mas meus pensamentos malévolos duraram pouco. E respondi a mensagem.

"Oi Onofre!

Gostaria muito de dar a entrevista e fazer uma foto de página inteira, mas acho que eu não sou o Gregório que vocês estão precisando...

Abraço,

Gregório de Almeida Fonseca"

E assim terminou a história de minha quase entrevista de homem do ano.

Quem sabe isso não vira um roteiro da Porta dos Fundos? Seria o primeiro vídeo da história com dois Gregórios! Ou será que não?

*Os nomes foram trocados por não agregarem valor ao camarote à história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário