boo-box

23 fevereiro 2013

Quinhentos


Esse é o post de número 500 desse blog, criado em 2004 mas que tornou-se ativo de verdade apenas em 2006. Não foi minha primeira home page: desde o século passado costumo arrisco-me a publicar conteúdo autoral na internet, mas nenhum desses antigos sites está ativo. Também não é a última: colaboro com o Move That Jukebox desde 2011 e já escrevei cerca de 180 posts por lá.

Considerando-se que levo em média 45 minutos para publicar um post (às vezes mais, às vezes menos), gastei 375 horas da minha vida mantendo esse blog. Esse tempo seria possível para, por exemplo:

  • ler O Senhor dos Anéis dezenove vezes;
  • assistir todos os episódios de Lost por quatro vezes;
  • correr 3 mil quilômetros;
  • escutar o disco Abbey Road, dos Beatles, 478 vezes;
  • jogar o game das Tartarugas Ninja de Super Nintendo até o final 250 vezes;
  • rever todos os jogos da seleção brasileira desde a primeira Copa do Mundo por duas vezes;
  • assistir todos os episódios da telenovela Avenida Brasil duas vezes;
  • assistir todas as aulas de um semestre de um curso de engenharia;
  • cozinhar 7500 porções de Miojo;
  • passar 4500 peças de roupa;
  • viajar de carro de Araxá para Belo Horizonte 83 vezes.
Só que eu usei esse tempo pra poder escrever aqui. Se compensou? Claro que sim. Por mais que eu não tenha virado um hit da internet nem ganhado dinheiro com isso, gosto de compartilhar minhas ideias e opiniões, e o blog é um espaço interessante para isso. Recebo visitas de todos os continentes do mundo, conhecidos e desconhecidos leem e compartilham o que escrevo. 

É um hobby, me faz bem. E vai ser o primeiro lugar que vão consultar quando resolverem escrever minha biografia e levar minha história para as telas do cinema.


16 fevereiro 2013

O melhor do Instagram

O Instagram é o substituto natural do (praticamente) finado Fotolog. Eu mesmo tive um flog durante um tempo, que foi até concomitante com esse blog. Abandonei-o, como todo mundo. As mídias sociais e os dispositivos mudaram a forma como compartilhamos fotos.

Tornei-me usuário do Instagram no dia em que ele foi disponibilizado para dispositivos com Android. De lá pra cá, postei mais de 100 fotos para cerca de 200 seguidores. Esses seguidores são os responsáveis pela seleção dessa lista: aqui estão classificadas as fotos que receberam mais "coraçõezinhos" no Instagram. São as mais votadas por eles, e não as escolhidas por mim.

É natural que as fotos mais recentes apareçam mais, pois no começo não tinha tanta gente acompanhando minhas atualizações. De qualquer forma, dá pra se ter uma noção geral das fotos que posto. E se você quiser me acompanhar no Instagram, é só visitar o meu perfil aqui.

15º lugar: Gregório no mundo digital


14º lugar: Com Paul Zaloom, mais conhecido como Beakman!


13º lugar: Lego The Mines of Moria (The Lord of The Rings)


12º lugar: The Beatle Week @ Vale Sul Shopping


11º lugar: Tem como não comprar uma revista da Mônica cheia de referências ao Super Mario Bros? 


10º lugar: Reino do cogumelo


9º lugar: No Uruguai o Gollum é skatista!


8º lugar: Gregório, o hobbit


7º lugar: Coleção de Lego minifigures


6º lugar (que pra mim merecia o 1º): A melhor namorada do mundo!


5º lugar: Gandalfinho, Frodinho e Smeagolinho


4º lugar: Agora tenho um Pinguim em cima da minha geladeira


3º lugar: That's the hipster world war!


2º lugar: Me divirto com os presentes de Natal das crianças da família


1º lugar: Já tenho minha decoração de Natal!


Muita gente diz que o Instagram tem excesso de fotos de comida. Mas acho que é porque as pessoas gostam de ver. A única foto de comida que postei na vida foi a terceira mais popular. Isso deve ser um sinal.

Se gostou, aqui tem mais: http://instagram.com/gregorioaf


(Re)instalando o Android 4.1.2 no Samsung Galaxy S3

Atualizado em 18 de maio de 2013

No começo de fevereiro, Samsung Brasil fez a alegria dos proprietários do Galaxy S3 ao liberar mais uma atualização do Android para o aparelho. Conhecida como Premium Suite, a nova versão do firmware tem o Android Jelly Bean 4.1.2 com diversas customizações da fabricante coreana.

Acontece que alguns aparelhos passaram a apresentar inúmeros problemas após essa atualização (o meu entrou nessa lista). Procurei em diversos fóruns e sites a solução, e acabei não encontrando. Apenas constatei que eu não era o único que estava angustiado.

Entre os problemas apresentados após a atualização, estão:

  • Telefone não carrega a bateria ao plugar na tomada;
  • Aparelho desliga sozinho;
  • Aplicativos travam, forçando o reinício do sistema operacional;
  • Sobreaquecimento;
  • Telefone não recebe dados conectado ao Wi-Fi;
  • Lentidão extrema;
  • Interface TouchWiz sem fluidez;
  • Consumo excessivo de energia.
Meu telefone apresentou quase todos esses sintomas. Isso é meio bizarro, pois de uma hora pra outra um usuário do melhor smartphone do mercado passa a ter um peso de papel na mão que só serve pra dar dor de cabeça (ok, exagerei um pouco nessa).

Depois de dois dias apanhando, encontrei a solução. Na prática, só reinstalei o sistema, mas de um jeito diferente.

Eu tinha feito a atualização via Wi-Fi. Não façam isso! Instalem o programam Kies, da Samsung, disponível para download gratuito no site da empresa.

Com o programa aberto, conecte seu Galaxy S3 no PC. Aparentemente, o cartão SD de algumas pessoas queimou durante a instalação. Recomenda-se retirar o cartão antes de conectar o telefone ao computador. Pode ser necessária a instalação de drivers se for a primeira vez que você estiver plugando seu smartphone no PC. Aguarde essa instalação, ela é automática.

O próximo passo a ser realizado é o backup dos dados do seu telefone. O backup é apenas uma recomendação, para o caso de haver algum problema na instalação. No meu caso, fiz o backup mas não precisei dele depois. Para isso, clique na guia "Criar cópia de segurança/Restaurar". Selecione os dados que você quer fazer o backup (que pode ser até mesmo tudo que tiver no seu aparelho) e faça o backup. 

Esse procedimento pode demorar algumas horas, dependendo do que você tiver salvo no seu Galaxy. Recomendo que o backup das músicas, fotos e vídeos seja feito via Windows Explorer (é mais rápido). Se fizer isso, você pode desmarcar as checkboxes relativas à "conteúdo" na hora do backup.

Depois vá ao menu "Ferramentas" e clique em "Atualização e Inicialização do Firmware". Siga os passos indicados pelo software e aguarde o final da instalação; Pronto: seu Galaxy S3 estará atualizado e sem todos esses bugs!

Ao menos foi assim que aconteceu comigo. Quando fiz a atualização via Wi-Fi o sistema ficou com mais bugs que um smartphone Xing-Ling. Reinstalando o sistema pelo Kies ficou tudo lindo e o telefone passou a ter recursos e desempenho ainda melhores. E ele continua sendo o melhor smartphone do mercado.

P.S.: Na penúltima semana de março, a Samsung Brasil liberou uma nova atualização de firmware para o sistema operacional. Fiz a atualização via Wi-Fi e não tive mais nenhum problema.

Leia também:
Como as pessoas escolhem um tablet?
Sobre os critérios que levam uma pessoa a escolher um ou outro modelo de tablet.

Síndrome da vibração fantasma
Sobre a sensação de que o celular está tocando em seu bolso, mas não está.

A diferença entre os clientes e os fãs
Sobre a relação das pessoas com uma marca, e como isso interefere na compra de um gadget.

06 fevereiro 2013

Quando fiquei rico


Riqueza é um negócio relativo. Se a revista Forbes ou qualquer outra pessoa analisar minha declaração de imposto de renda, vai notar que não sou rico, de acordo com os padrões da sociedade em que vivemos. Mas acho que, financeiramente falando, sou uma pessoa rica sim.

Falo isso pensando em um único argumento, que pra mim é o suficiente: hoje eu consigo comprar livros, revistas, filmes, jogos de videogame, CDs e LPs numa velocidade muito maior que consigo consumi-los. Além disso, vou a (praticamente) todos os shows que quero. Isso só foi possível depois que comecei a trabalhar e ganhar meu próprio salário. Falando em dinheiro, preciso de mais? Acho que não.

OK, na verdade eu preciso de dinheiro sim. Mas todo mundo precisa, e sentimos que nunca é o suficiente. Adequamos nosso padrão de vida à quantidade de dinheiro que ganhamos, e isso é natural. É claro que só investir em cultura não é o suficiente para que eu viva bem, e confortavelmente. Mas que ajuda muito, isso ajuda.