boo-box

29 janeiro 2014

Autografando livros digitais

Tenho algumas dezenas de livros autografados. O autógrafo é legal pois ele torna o seu livro um item exclusivo, diferente do que qualquer pessoa tem no mundo. Sem contar que para autografá-lo você deve ter tido o mínimo de contato com o autor - e autores são pessoas legais.

Só que estamos num momento que, se não é de transição de mídias, é de no mínimo convivência em conjunto. Embora ainda compre mais livros de papel que digitais, só em 2013 li mais de 25 e-books.

E como autografar um e-book?

Na Campus Party de 2014, tive a oportunidade de encontrar dois autores de livros cuja edição digital foi comprada por mim. Naturalmente, quis ter contato com os escritores, mas eles não podia autografar os meus livros. A solução encontrada foi uma foto posando com meu e-reader e "autenticando" a versão digital.

Com Affonso Solano, autor de "O Espadachim de Carvão" (e um Beto Estrada trollando a foto no fundo!)

Com Sílvio Meira, autor de "Novos negócios inovadores de crescimento empreendedor no Brasil"

Com Fábio Yabu, autor de "Branca dos Mortos e os Sete Zumbis"

Um livro digital pode até ser mais confortável de ser lido, mais barato e mais fácil de ser armazenado. Mas o encontro com os autores em carne e osso não em preço.


Um comentário:

  1. Que massa, você foi na Campus Party e também tem um blog do "Greg" hahahah.

    http://www.blogdogreg.com.br/

    ResponderExcluir