Pular para o conteúdo principal

O mapa dos filmes legendados (e dublados) em Belo Horizonte

Parece um pouco paradoxal: por um lado vemos abertura de inúmeras salas de cinema país afora, por outro está cada vez mais difícil encontrar sessões legendadas nos cinemas do Brasil. Pra não dar a impressão de afirmar sem ter informações o suficiente, resolvi fazer um levantamento das seções legendadas nos quatorze principais complexos de cinemas de Belo Horizonte. Os dados obtidos são relativos ao dia 7 de outubro de 2015.

A conclusão é triste, mas não me surpreendeu: apenas 29% das sessões em BH são legendadas. São 91 exibições em um universo de 318. Se considerarmos apenas os filmes estrangeiros o número sobre para 37%, o que ainda é baixo.

Os resultados detalhados estão expostos a seguir. A primeira tabela inclui os filmes estrangeiros, tanto dublados quanto legendados, e os filmes nacionais. O Ponteio liderou o ranking com 69% dos seus filmes legendados, seguido de perto pelo Cine Belas Artes com 67%. Outros quatro complexos exibiram mais da metade dos seus filmes legendados na data analisada: Diamond Mall, BH Shopping, Shopping Paragem e Pátio Savassi.


A segunda tabela excluiu os filmes brasileiros da análise, e o Cine Belas Artes assumiu a liderança com 100% dos filmes estrangeiros sendo exibidos com legendas. O Ponteio caiu para a vice-liderança com 85% dos filmes legendados.


Tempos atrás a revista Época publicou uma reportagem dizendo que assistir um filme legendado seria o equivalente a ler um livro de 30 páginas em duas horas. E isso significa um esforço considerável para boa parte da população, o que justifica o aumento da quantidade de filmes dublados no cinema.

Particularmente, prefiro filmes legendados. Sei que sou minoria, mas tenho meus motivos: por mais
que a dublagem brasileira seja excelente, perde-se muito da atuação original dos artistas, sem contar que os efeitos sonoros em muitas vezes são prejudicados. Acredito que ver um filme legendado é a forma mais próxima de se aproveitar uma obra da maneira como ela foi concebida originalmente.

Uma exceção que faço são as animações, pois mesmo em suas versões originais elas são dubladas. Nesse caso os estúdios de dublagem brasileiros costumam entregar resultados tão bons quanto os originais, e valem a pena ser vistos. Isso só é problemático quando escolhem alguma celebridade sem talento para dublagem para atuar.

Não vejo perspectivas de melhoras para os próximos anos: se o público prefere filmes dublados, os complexos de cinema vão exibir cada vez mais filmes dessa maneira. O que está ao meu alcance é deixar de ver um filme se ele não está sendo exibido com seu som original. Caso eu desse meu braço a torcer, a bilheteria de filmes dublados aumentaria e, consequentemente, os filmes legendados continuariam a perder espaço.

Será que é demais sonhar com um futuro onde as pessoas leiam mais e os filmes legendados possam voltar a ser maioria? Tomara que não...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(Re)instalando o Android 4.1.2 no Samsung Galaxy S3

Atualizado em 18 de maio de 2013

No começo de fevereiro, Samsung Brasil fez a alegria dos proprietários do Galaxy S3 ao liberar mais uma atualização do Android para o aparelho. Conhecida como Premium Suite, a nova versão do firmware tem o Android Jelly Bean 4.1.2 com diversas customizações da fabricante coreana.

Acontece que alguns aparelhos passaram a apresentar inúmeros problemas após essa atualização (o meu entrou nessa lista). Procurei em diversos fóruns e sites a solução, e acabei não encontrando. Apenas constatei que eu não era o único que estava angustiado.

Entre os problemas apresentados após a atualização, estão:

Telefone não carrega a bateria ao plugar na tomada;Aparelho desliga sozinho;Aplicativos travam, forçando o reinício do sistema operacional;Sobreaquecimento;Telefone não recebe dados conectado ao Wi-Fi;Lentidão extrema;Interface TouchWiz sem fluidez;Consumo excessivo de energia. Meu telefone apresentou quase todos esses sintomas. Isso é meio bizarro, pois de uma hora p…

O que acontece se um vampiro morder um zumbi? E se um zumbi morder um vampiro?

Já parou pra pensar no que acontece quando um vampiro morde um zumbi? Será que o zumbi vira um vampiro? E quando a situação é a inversa? Será que uma mordida de zumbi transforma o ser de dentes pontudos?
Tanto vampiros quanto zumbis são seres que podem ser classificados como "mortos-vivos". Isso significa que, apesar deles conseguirem executar certas ações que usualmente apenas os seres vivos são capazes, eles estão mortos. Na prática, se um vampiro morder um zumbi ou vice-versa não acontece nada. 

A razão desse efeito (ou da ausência de efeito) é que os zumbis mordem apenas seres vivos. Por esse motivo, eles não mordem outros zumbis, vampiros e múmias, por exemplo.
Por outro lado, os vampiros precisam se alimentar de sangue de seres vivos. E, embora os zumbis tenham sangue circulando em suas veias, eles já estão mortos.
Assim sendo, se um vampiro cruzar com um zumbi, certamente eles não se atacarão. E mesmo supondo que seja um vampiro doidão que queira morder um ser um put…

Anderlaine

Meu e-mail é "Gregório underline Fonseca @ Gregório's Corporation ponto com". Sabe onde está o erro? No underline. Na verdade, não existe nenhum e-mail no mundo com underline. Nem o seu.

A origem dessa designação para o símbolo "_" no Brasil é desconhecida. O correto, em inglês, seria underscore. A tradução para o português é "traço baixo". Mas em algum momento da história da humanidade, alguém resolveu chamar o "traço baixo" de underline, e assim o termo se popularizou.

Já experimentou dizer um termo com um underscore no meio? Na maioria das vezes, se a pessoa não faz uma careta de que não está entendendo, ela responde com a pergunta: "Underline, né?" Mas eu insisto em dizer o termo correto. Por mais que possa ser chato pra mim, acho importante ter esse papel educativo.

Underline deve ser usado para se referir ao texto sublinhado, desse jeito, ó!

Apesar disso tudo, acho que essa é uma batalha perdida. É mais um estrangeirismo que …