boo-box

13 dezembro 2016

"Rogue One: uma história Star Wars" é o melhor filme do ano que não assisti


Eu sou muito empolgado com filmes de cultura pop (super-heróis, ficção científica, fantasia etc). Passo muito mais tempo lendo, assistindo vídeos, acompanhando a produção e o pós-lançamento que efetivamente assistindo o filme no cinema. Imagine só minha tristeza quando um filme assim não corresponde às minhas expectativas...

Só que na prática eu acho que meu cérebro se programa para que eu goste de tudo, mesmo que inconscientemente. É bem raro eu sair muito insatisfeito desses filmes (embora aconteça eventualmente). Normalmente eu já gostei do filme antes de começar a vê-lo.

Aí que mora o perigo: sabendo da minha predisposição para gostar de tudo e com medo de tomar spoilers, evito ter acesso às críticas do filme antes de formar minha opinião. No entanto, não consegui fugir das manchetes que pululavam nos meus feeds nas redes sociais. E parece ser um consenso que o filme é excelente, tem gente arriscando dizer que é o melhor filme da série.

Eu acho que existem muitos aspectos que são levados em conta para alguém classificar algo como "o melhor" e eu sou uma pessoa que já teve a sensação de que o Episódio I era o melhor Star Wars. E no contexto em que eu estava envolvido, realmente ele foi fantástico. Conto essa história aqui, cliquem se quiserem saber mais detalhes.

Quinta-feira eu vou ao cinema ver "Rogue One: uma história Star Wars" com um sorriso no rosto. Quero sair da sessão com um sorriso maior ainda. Torçam por mim.

P.S.: Meu nível de empolgação chegou ao ponto de me fazer comprar uma estatueta do droide K2SO, que só conheço pelos trailers. Se ele for um personagem ruim, ao menos é uma estatueta bonita.

Da esquerda para a direita, K2SO, ET, Rey, BB-8, Lif (Navio Dragão) e um pedacinho da Chandra na minha cristaleira que não tem cristais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário