boo-box

27 junho 2016

Subcelebridades precisam entender que o "sucesso" não dá carta branca para tratarem mal as pessoas

Conhece o MC Menor da VG? Eu não conhecia até o último dia 17, até ter o desprazer de vê-lo no aeroporto uns dias atrás.



Fiquei surpreso ao ver que ele tem mais de 550 mil seguidores no Facebook. É mais que ótimos artistas como Pato Fu, Marcelo Jeneci, Tulipa Ruiz, Cachorro Grande e Nenhum de Nós, por exemplo. Não acho que isso seja um problema, cito esse dado só pra dar uma noção do alcance o rapper tem. A Internet joga na nossa cara o fato de que existe público pra tudo e que existe muita gente que pode ser extremamente famosa em um certo nicho e um grande desconhecido para o resto da população.

A situação que me deixou negativamente impressionado e me fez perder um pouquinho de fé nos rumos da humanidade aconteceu no aeroporto de Guarulhos, no terminal da Azul, enquanto esperava meu voo para Belo Horizonte.

Na fila do Bob's (fila bem grande, esse detalhe é importante) um grupo de pessoas fazendo muito barulho simplesmente ignorou que a fila existia e foi direto ao caixa, na frente de todos que esperavam. A balconista os atendeu e o grupo ignorou as reclamações das pessoas que estavam na fila, como se deve ficar para vivermos bem em sociedade. Como se não bastasse terem furado a fila, enquanto comiam, riam e debochavam de quem estava à sua volta.

Pra mim era só um bando de moleques idiotas fazendo baderna, mas antes de irem embora voltaram ao balcão com uma pilha de CDs que foram distribuídos enquanto diziam a frase "Escuta nóis aí". Uma bela cena que presenciei foi quando colocaram um CD sobre a mesa de uma mulher que tinha reclamado dos fura-filas e ela apenas estendeu o braço até o lixo, onde o disco foi depositado.

Ao irmos embora do Bob's perguntando no balcão quem eram as pessoas, descobrimos se tratar do MC Menor da VG e sua equipe.

Pra piorar, estavam no mesmo voo que eu (voo 2416 de GRU-CNF). Não podia esperar ver nada diferente de muito barulho e falta de educação e foi justamente isso que aconteceu. Reclamaram bastante do avião, fizeram pessoas incomodadas mudarem de lugar, até que chegamos ao destino final.

Nunca ouvi nada que ele canta, nem tenho vontade. Não quero prestigiar o trabalho de alguém que se sente no direito de desprezar o próximo. Fico é triste com os ídolos que as pessoas tem. Alguém com um alcance de público tão grande poderia usar essa popularidade para disseminar coisas boas, ou no mínimo tratar o próximo com respeito.